Por jessyca.damaso


Rio Grande do Sul - O jogo entre Novo Hamburgo e São José-POA, pelas quartas de final do Campeonato Gaúcho, ficou marcada por um ato de racismo. O zagueiro Wagner Fogolari, usou sua rede social para fazer um desabafo após ser chamado de 'macaco' por torcedores do time advsersário. Segundo o jogador, ele está esperando o advogado do clube para tomar uma providência.

Wagner relatou gritos de 'macaco' durante partida Reprodução Facebook

"Em certo momento da partida um torcedor do Novo Hamburgo que estava próximo ao campo, que teve uma atitude inaceitável e repugnante de racismo com a minha pessoa, me insultando e descriminando ao me chamar claramente e diretamente de MACACO em alto e bom tom", escreveu Wagner no Facebook.

O incidente, de acordo com Wagner, aconteceu quase no final do segundo tempo da partida que terminou com a vitória do Novo Hamburgo.

"Durante a partida de sábado tinha um torcedor que estava no caminhão fazendo uma apresentação. No segundo tempo, ele começou a xingar. Foi em um escanteio a favor do Novo Hamburgo, aí ele desferiu essas palavras de baixo calão. Ele mandou eu calar a boca, me chamou de macaco. Na hora, eu estava concentrado e não falei nada. Depois do jogo, fui na tela tirar satisfação e ele fugiu. Avisei um policial e não deu para chegar a ele, conseguiu fugir", contou o zagueiro à Rádio Bandeirantes de Porto Alegre.

Segundo o jogador, funcionários do São José-POA reconheceram o torcedor que proferiu os gritos racistas por já terem trabalhado no Novo Hamburgo. Terça-feira, Wagner pretende ir à delegacia para fazer um Boletim de Ocorrência.

"Tinha pessoas do São José que conheciam ele. Não sei se ele faz parte do clube, do Novo Hamburgo. Mas só pelo fato de estar em uma área reservada do estádio... Nós já sabemos que é ele, sim. Estou para ir na delegacia logo mais e vou registrar", encerrou Wagner.

Você pode gostar