Tottenham vence clássico com o Arsenal e ainda sonha com título inglês

O dia só não foi perfeito para o time de Mauricio Pochettino porque o Chelsea, líder da competição, também fez sua parte ao derrotar o Everton

Por O Dia

Inglaterra - O Tottenham venceu o clássico diante do Arsenal por 2 a 0, neste domingo, em casa, no White Hart Lane, e manteve a esperança de conquistar o título do Campeonato Inglês. O dia só não foi perfeito para o time de Mauricio Pochettino porque o Chelsea, líder da competição, também fez sua parte ao derrotar o Everton por 3 a 0.

Com os resultados deste domingo, a vantagem do Chelsea para o vice-líder Tottenham segue em quatro pontos - 81 a 77 - a quatro rodadas para o fim. Se o título parece nas mãos dos comandados de Antonio Conte, o rival londrino continua sonhando e ao menos está garantido na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Tottenham levou a melhor sobre o ArsenalEfe

Para o Arsenal, no entanto, a derrota deste domingo significou o distanciamento da zona de classificação para a Liga dos Campeões A equipe tem 60 pontos, na sexta posição, seis atrás do Manchester City, que hoje estaria na fase preliminar do torneio europeu. A pressão sobre Arsène Wenger é intensa e pode se tornar insustentável se o clube ficar fora da principal competição do continente pela primeira vez desde 1997/1998.

Não bastasse a derrota, o Arsenal foi amplamente dominado pelo Tottenham neste domingo e viu Petr Cech evitar um placar mais elástico. A péssima pontaria do ataque adversário, principalmente no primeiro tempo, também colaborou para que não houvesse uma goleada no White Hart Lane.

O JOGO - O Tottenham foi para cima no início e viu Kane arriscar a primeira finalização logo com um minuto. Mas, rapidamente, o Arsenal se acertou em campo e o jogo ficou equilibrado, truncado no meio de campo e sem grande oportunidades de ambos os lados.

Em duas rápidas escapadas, então, o Tottenham desperdiçou chances incríveis. Aos 21, Kane foi lançado, invadiu a área e encontrou espaço para bater. A bola desviou em Koscielny e sobrou na pequena área para Dele Alli, que, sem goleiro, perdeu de cabeça.

Somente dois minutos depois, Son invadiu a área pela esquerda após ótimo passe de Wanyama. Ele cortou Chamberlain, a bola tocou em Koscielny novamente e desta vez sobrou para Eriksen. Também sem goleiro, o meia finalizou de primeira e jogou por cima, com leve desvio no travessão.

Só então o Arsenal foi a frente e criou suas duas únicas oportunidades do primeiro tempo. Aos 37, Ramsey recebeu próximo à área com espaço, ajeitou e bateu para grande defesa de Lloris, no primeiro chute a gol do time. Seis minutos depois, Sánchez aproveitou sobra após escanteio e tentou mesmo com pouco ângulo, pela esquerda. A bola passou perto da trave.

Vertonghen ainda respondeu nos acréscimos, mas foi na etapa final que o Tottenham encurralou o Arsenal. Logo aos três minutos, Wanyama bateu colocado, de fora da área, e Cech voou para espalmar. Após cobrança rápida de escanteio, Son apareceu sozinho na área e bateu para fora.

Depois de tanto desperdiçar chances, o Tottenham finalmente acertou o alvo e saiu na frente aos nove minutos. Dele Alli recebeu na área e tocou para Eriksen, que driblou o marcador e bateu em cima de Cech. No rebote, o mesmo Dele Alli se lançou de carrinho e finalizou para a rede.

Ainda abalado pelo gol, o Arsenal sofreu o segundo somente dois minutos depois. Kane arrancou pela esquerda, invadiu a área e desabou ao ser tocado na perna direita por Gabriel Paulista. O árbitro marcou pênalti, que o próprio atacante bateu com precisão para ampliar.

O gol fez o Arsenal desabar, e aí apareceu Petr Cech para evitar uma goleada. Aos 22, ele defendeu finalização de fora da área de Vertonghen. Aos 31, bloqueou finalização à queima-roupa de Kane, e no lance seguinte, o goleiro ainda voou para espalmar cabeceio preciso de Alderweireld. No fim, o 2 a 0 pareceu barato para o time visitante, até porque o árbitro ignorou pênalti claro de Sánchez em toque de mão na área.

Últimas de Esporte