Inter se defende e critica projeção de exclusão da Série B: 'prematura e inócua'

Em uma tentativa desesperada de permanecer na Série A, o clube denunciou uma possível escalação irregular do zagueiro Victor Ramos

Por O Dia

Porto Alegre - O Internacional se pronunciou oficialmente sobre as últimas repercussões do "caso Victor Ramos" nesta quinta-feira. Um dia depois do encerramento do inquérito do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) sobre as suspeitas de falsificação de documentos na ação, o clube divulgou comunicado em que garante ter agido "de forma lícita".

Victor Ramos atuou em 24 partidas pelo Vitória até a 36ª rodada do BrasileirãoFrancisco Galvão / EC Vitória

"O Sport Club Internacional, em face das notícias veiculadas no dia de ontem, sobre o inquérito do caso Victor Ramos no STJD, vem a público dizer o seguinte: reitera sua absoluta certeza sobre a licitude de todos os atos praticados pelo clube e pelos profissionais que o representaram no referido processo, na defesa dos direitos do Internacional", afirma.

Em uma tentativa desesperada de permanecer na elite do futebol brasileiro, apesar da queda no campo, o Internacional denunciou no ano passado uma possível escalação irregular do zagueiro Victor Ramos por parte do Vitória, que brigava com o time gaúcho contra o rebaixamento. O inquérito do STJD, no entanto, concluiu que documentos utilizados pelo clube colorado no processo eram falsos.

Segundo o tribunal, o Inter não foi diretamente responsável pela adulteração do conteúdo dos e-mails trocados entre a Diretoria de Registro e Transferência da CBF e o Vitória. A perícia apontou que o responsável pela modificação dos e-mails foi Francisco Godoy, empresário de Victor Ramos. Porém, o clube gaúcho acabou utilizando o conteúdo das conversas para tentar fazer com que o rival baiano fosse punido por uma suposta escalação irregular do jogador.

De acordo com as leis do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), a pena máxima para o Inter neste caso seria a exclusão da Série B e, consequentemente, o rebaixamento à terceira divisão em 2018, mas isto não parece preocupar o clube. "Qualquer atual especulação sobre consequências futuras de eventual processo se mostra absolutamente prematura e inócua", diz a nota desta quinta.

O documento do STJD, que sugere a denúncia do clube, do ex-presidente Vitório Piffero e de outros dirigentes, seria encaminhado para a Procuradoria da Justiça Desportiva, que deve analisar o texto e fazer a denúncia nas próxima semanas. O Inter aguarda os próximos passos para fazer sua defesa.

"As notícias veiculadas na mídia referem o encaminhamento do tema para a Procuradoria do STJD, onde poderá ou não ser oferecida denúncia. Na hipótese de que haja a denúncia, se iniciará um processo com direito à ampla defesa e contraditório pleno, instrução, exame por vários julgadores e, eventualmente, recursos", garante. "O Inter mantém sua confiança integral nas autoridades constituídas, em especial nos julgadores do STJD, que saberão identificar a correção do clube e dos seus profissionais em todos os episódios do caso em exame."

Com informações do Estadão Conteúdo

Últimas de Esporte