Martina Navratilova critica lenda do tênis por declarações homofóbicas

Margaret Court afirmou que o esporte estava 'repleto de lésbicas' e que as crianças transgênero eram vítimas de uma lavagem cerebral

Por O Dia

EUA - A lenda do tênis feminino Martina Navratilova chamou de "nocivas e perigosas" as declarações da também histórica ex-tenista Margaret Court, que afirmou que o esporte estava "repleto de lésbicas" e que as crianças transgênero eram vítimas de uma lavagem cerebral "como na Alemanha nazista".

Margaret Court deu declaração homofóbicaReprodução Internet

"Ligar os LGBT aos nazistas, aos comunistas, ao diabo? Não é correto", escreveu Navratilova, que é homossexual, em carta aberta à Margaret Court Arena, segunda maior quadra do Aberto da Austrália, em Melbourne. O texto também foi publicado pela imprensa australiana.

"Na verdade, é nocivo e perigoso. As crianças sofrerão ainda mais por esta estigmatização e o constante depreciamento de nossa comunidade LGBT", continuou.

"Sabemos agora quem é Court: uma tenista incrível e uma racista homofóbica", lamentou Navratilova, campeã de 18 Grand Slams durante a carreira.

A ex-tenista tcheca naturalizada americana acredita que a Margaret Court Arena deveria ser rebatizada com o nome de Evonne Goolagong Cawley, outra lenda do tênis australiano, após as declarações de Court.

Court, 74 anos, foi criticada nos últimos dias após anunciar que irá boicotar a companhia aérea australiana Qantas pelo apoio ao casamento entre pessoas de mesmo sexto.

Campeã de 24 Grand Slams e agora pastora religiosa, Court declarou a uma rádio cristã local que não tinha "nada contra" os homossexuais, mas que queria "ajudá-los a superar isso".

Últimas de Esporte