Lochte afirma ter pensado em se suicidar após mentir sobre assalto na Olimpíada

Nadador dos EUA diz que se considerava 'a pessoa mais odiada do mundo'

Por O Dia

Rio - A Olimpíada Rio-2016 ficou marcada, além dos inúmeros motivos positivos, pelo escândalo envolvendo o nadador americano Ryan Lochte. Experiente, o atleta de 32 anos tentou justificar uma noite de bebedeira afirmando ter sido assaltado, para encobertar a traição de um amigo que estava com ele.

Ryan Lochte em entrevista à emissora 'NBC'%3A 'Comportamento alcoolizado manchou um pouco a Olimpíada'Reprodução TV/ NBC News

Quase um ano depois de toda a polêmica, Lochte afirma que se sentiu a pessoa mais odiada do mundo e, além disso, pensava em tirar a sua própria vida, comentando que sentia medo de dormir e acabar não acordando.

"As pessoas queriam uma razão para me odiar. Depois do Rio, provavelmente eu era a pessoa mais odiada do mundo. Em alguns momentos eu estava chorando, pensando, se eu for para a cama e nunca mais acordar, tudo bem. Estava prestes a acabar com toda a minha vida."

Buscando forças em sua noiva e no seu filho, o nadador conseguiu evitar o pior e contou sua história à ESPN dos Estados Unidos. Por conta de toda a confusão, entretanto, foi suspenso da seleção de seu país por 10 meses.

Últimas de Esporte