Saiba como hooligans ingleses fizeram herói salvar vidas em atentado de Londres

Roy Larner, de 47 anos, saiu na mão com três terroristas. Inglês torce para clube que tem uma das torcidas mais violentas do mundo até hoje

Por O Dia

Inglaterra - O caso de um inglês que enfrentou três terroristas que tentavam conduzir um ataque na London Bridge ganhou o mundo. O grito de "F***-se vocês, eu sou Millwall!" tornou tudo ainda mais curioso e engrandeceu a história de Roy Larner, já que o clube londrino tem uma das torcidas mais violentas do mundo.

Torcedor do Millwall saiu na mão contra três terroristas armados com facasReprodução / Facebook

Roy Larner, de 47 anos, não se intimidou com as facas que portavam e resolveu enfrentar, de mãos limpas, os responsáveis pelo ataque vitimou sete mortos. A inspiração talvez tenham sido os hooligans do Millwall.

"Eles estavam armados com longas facas e começaram a gritar: 'Alá, Alá, Alá'. Depois, gritaram 'Islã, Islã, Islã'. E eu gritei de volta para eles. Dei alguns passos à frente e berrei: 'Danem-se vocês, eu sou Millwall! Foi aí que eles começaram a me atacar", conta o torcedor, que acabou sendo hospitalizado depois de ser esfaqueado.

Por conta do ato, considerado heroico, Larner ganhou o apelido de "Leão da London Bridge" e provavelmente orgulhou os Millwall Bushwackers, torcida organizada mais extremista do time, que amarga as divisões inferiores do Campeonato Inglês.

Sem nenhum título de grandes proporções, o Millwall é conhecido pela violência de sua torcida, que canta uma música com o lema "Ninguém gosta de nós e não nos importamos", acumulando números colossais em relação a ferimentos de policiais.

Em 2002, depois de o time não conseguir subir para a segunda divisão inglesa, fogos de artifício feriram 45 policiais. Na década de 1980, num confronto contra o Luton Town, pela Copa da Inglaterra, houve total destruição no estádio.

Dez mil torcedores do Millwall foram a Luton para assistir o jogo e, no fim, mais de 700 assentos haviam sido jogados no gramado, machucando mais de 80 pessoas, incluindo 33 policiais.

No fim, a rivalidade entre West Ham e Millwall, uma das mais temidas da Inglaterra, virou até filme, com a trilogia Hooligans, que retrata a vida de líderes das organizadas dos dois clubes.

Últimas de Esporte