Mais Lidas

Lenda do tênis tem falência decretada por dívida bancária

Ex-número 1 do mundo não conseguiu quitar pendências antigas

Por sarah.borborema

Alemanha - Lenda do tênis, o alemão Boris Becker foi declarado falido nesta quarta-feira pela juíza de um tribunal britânico, que revelou tê-lo visto atuando em Wimbledon, após o ex-jogador não conseguir pagar uma dívida antiga com um banco.

Boris Becker já foi treinador de DjokovicReprodução

O advogado do dono de seis títulos de torneios do Grand Slam pediu a um tribunal de falências de Londres uma última chance para Becker pagar uma dívida que tem com o banco privado Arbuthnot Latham & Co. desde 2015, mas não teve êxito na sua tentativa.

A juíza Christine Derrett disse que faltam evidências reais de que a dívida seria paga em breve. Ela se recusou a adiar o caso por mais 28 dias e anunciou um pedido de falência. "Tenho a impressão de um homem com a sua cabeça enterrada na areia", afirmou.

O advogado de Becker, John Briggs, argumentou que havia provas suficientes para mostrar que o alemão teria condições de pagar a dívida através de um acordo de refinanciamento, com a utilização de uma propriedade em Maiorca, na Espanha. Ele declarou que havia a expectativa de que o acordo fosse fechado em um mês, o que lhe renderia 6 milhões de euros (aproximadamente R$ 22 milhões).

Briggs também disse que Becker é "um indivíduo sofisticado quando se trata de finanças", e que a falência provavelmente teria um efeito adverso sobre a imagem de Becker. "Ele deveria ter pensado nisso há muito tempo", rebateu a juíza.

Becker, de 49 anos, tem residência em Londres e recentemente treinou o sérvio Novak Djokovic, além de ser comentarista de partidas de tênis na TV, tendo se aposentado das quadras em 1999 Esse não é o seu primeiro problema financeiro, pois em 2002 foi condenado por evasão fiscal.

Com informações do Estadão Conteúdo

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia