Atacante acusa zagueiro do Internacional de racismo durante partida da Série B

Colorado nega que o jogador tenha cometido o ato: 'ele disse que não fez'

Por O Dia

Fortaleza - O Internacional venceu o Ceará por 2 a 0, na noite desta terça-feira, na Arena Castelão, em Fortaleza, e voltou a subir na tabela da Série B do Campeonato Brasileiro, mas acabou tendo a sua vitória ofuscada por um episódio negativo envolvendo um de seus jogadores no confronto. O zagueiro Víctor Cuesta foi acusado pelo atacante Elton, do time cearense, de racismo durante o duelo.

Cuesta e Elton discutiram durante a partidaReprodução Vídeo

O jogador da equipe da casa disse ter sido chamado de "macaco" por mais de uma vez pelo defensor argentino. Houve uma discussão entre os dois atletas e o árbitro Leandro Bizzio Marinho acabou punindo os dois com cartões amarelos. Após o fim da partida, Elton não escondeu a sua decepção com o ocorrido.

"Lamentável. É lamentável estar falando desse episódio. A gente sabe que nos tempos de hoje é absurdo que pessoas possam cometer esse tipo de atitude. Alguns jogadores ouviram. Me contiveram ali, pois eu perdi a cabeça. São seres humanos. É inadmissível uma atitude dessas", afirmou o atacante, que depois ressaltou: "Tomara que as câmeras tenham pego esse momento porque a gente fica muito triste, muito chateado. O Inter é time grande, não merece ter um jogador como esse tendo esse tipo de atitude, já que estava ganhando o jogo".

Em seguida, ao ser questionado por um repórter sobre o que desencadeou a confusão, Elton garantiu não ter feito nada que pudesse provocar o suposto ato de racismo, que já seria injustificável de qualquer forma, independentemente do que tenha acontecido entre os atletas. "Ele acabou trombando comigo, em um lance normal, e virou para mim e me chamou de macaco duas vezes", denunciou.

INTER NEGA - Após a acusação de Elton, o vice-presidente de futebol do Inter, Roberto Melo, deu entrevista coletiva e afirmou que o zagueiro argentino negou que tenha cometido o ato de racismo. "A gente conversou com o Cuesta e ele disse que não falou nada neste sentido. Os dois discutiram. O Cuesta tem uma carreira longa e nunca teve alguma questão envolvendo esse tipo de coisa. O que o nosso jogador nos passou é que não falou. Eles discutiram. Mas, o termo que está sendo colocado, ele disse que não usou", afirmou.

Também em entrevista coletiva após o duelo, o técnico do time gaúcho, Guto Ferreira, disse crer que seu atleta não cometeria esse tipo de atitude, tendo em vista o comportamento que o zagueiro vem mostrando sob o seu comando. "Estou há 40 dias no Inter e o Cuesta é um jogador com postura exemplar, tanto em questão de treinamento, assim como de conduta. Eu prefiro acreditar no Cuesta. É uma coisa grave sim, mas acho que não houve nada", apostou o treinador.

Apesar do episódio polêmico, o Inter não deixou de comemorar a vitória que colocou a equipe na quinta posição da Série B, com 21 pontos, a dois de distância de América-MG e Vila Nova, respectivos terceiro e quarto colocados, que hoje fecham a zona de acesso à elite nacional.

"Havíamos feito uma boa partida contra o Criciúma, mas a vitória não veio. Hoje merecemos o resultado", afirmou o atacante William Pottker, autor do primeiro gol do time colorado no triunfo sobre o Ceará. "Hoje fomos cirúrgicos. O Ceará até teve mais posse de bola, mas fomos eficientes nas chances que tivemos", reforçou o capitão e meia D'Alessandro.

Últimas de Esporte