CBF só deve usar o árbitro de vídeo no Campeonato Brasileiro de 2019

Polêmicas levam a entidade a rever quando irá adotar o recurso eletrônico

Por O Dia

Rio - Polêmicas na adoção em jogos de futebol do árbitro de vídeo levaram a CBF a adiar para 2019 o uso do recurso no Brasileiro. É o que garante Sérgio Corrêa, chefe de arbitragem da entidade. Segundo ele, a ideia era ter a novidade este ano, mas, diante de alguns erros observados, deve demorar mais do que o previsto para entrar em vigor.

Árbitro de vídeo pode Divulgação CBF

"A CBF está muito rigorosa nessas questões e temos que ter segurança plena de implementar e não criar os problemas que temos observado em alguns casos. Não temos pressa. Estamos aguardando para 2018 a questão da aprovação e o protocolo definitivo da Fifa a ser usado na Copa do Mundo para depois usar no Brasileiro, quem sabe em 2019", disse Sérgio Corrêa, na última quarta-feira, em entrevista ao 'Redação SporTV'.

O dirigente se diz favorável à adoção do VAR (árbitro assistente de vídeo), por julgar que o seu uso evitará "erros crassos", mas ainda não vê um consenso sobre como o recurso tem sido utilizado — em lances de interpretação, e não para auxiliar em jogadas claras.

"O projeto brasileiro é mais conservador, pois não incluímos a questão da interpretação, que tem dado problema. Toda vez que entrar a interpretação do árbitro em campo vai dar problema. Mas não tem como a tecnologia não entrar no futebol", frisou Sérgio Corrêa, acrescentando ser preciso preparar os envolvidos para quando e como usar o recurso do árbitro de vídeo.

Últimas de Esporte