LeBron James afirma que Donald Trump faz 'ódio voltar à moda' nos Estados Unidos

Astro do Cleveland Cavaliers rebateu a declaração do presidente americano, que no final de semana responsabilizou os 'dois lados' pelos incidentes raciais ocorridos em Charlottesville, na Virginia

Por O Dia

Estados Unidos - Não é novidade que LeBron James não aprova a política do presidente dos Estados Unidos, Donaldo Trump. Na última terça-feira, o astro do Cleveland Cavaliers enfatizou que o mandatário deu uma lamentável demonstração de incentivo ao ódio, durante o polêmico discurso que Trump fez no fim de semana em virtude dos conflitos raciais ocorridos em Charlottesville, na Virginia.

LeBron James não aprova a política do presidente Donald TrumpDivulgação/Cleveland Cavaliers

"O ódio sempre existiu nos Estados Unidos, nós sabemos disso, mas Donald Trump fez com que isso voltasse à moda! Estatuas não têm nada a ver com a gente agora!", publicou o jogador em sua conta no Twitter.

No último final de semana, grupos neonazistas fizeram uma marcha na cidade, com bandeiras que faziam apologia à Ku Klux Klan, que prega a xenofobia e a supremacia branca. O movimento terminou em tragédia, quando um condutor móvel atropelou um grupo de contra-manifestantes, deixando um morto e 19 feridos. E o presidente Donald Trump responsabilizou os "dois lados" por esse incidente que aconteceu na Virginia.

A noite, durante um evento em sua fundação em Ohio, LeBron James explicou sua declaração e voltou a frisar a necessidade de uma reflexão de todos para que o racismo seja erradicado.

"Eu sei que muitas coisas trágicas estão acontecendo em Charlottesville. Eu quero falar sobre isso agora. Eu tenho essa plataforma e sou alguém que tem uma voz de comando e a única maneira de melhorarmos como uma sociedade e como pessoas é com o amor. E essa é a única maneira de podermos conquistar isso. Não se trata do cara que é o chamado presidente dos Estados Unidos, ou seja o que for. É sobre nós. É sobre nós olhando no espelho. Das crianças até os adultos. Todos nós olhando no espelho e dizendo: 'O que podemos fazer para ajudar a mudar?'", frisou o astro do basquete.

Últimas de Esporte