Clube de luta gera polêmica ao adotar crianças órfãs para praticar MMA

Questionado se elas recebem para isso, um dos treinadores, respondeu: 'Mais ou menos. Nós gerenciamos e damos quando elas precisam'

Por O Dia

China - Um "clube de luta infantil" na província chinesa de Sichuan, está sendo fortemente investigada pelas autoridades do país por suspeita de adotar crianças abandonadas e assim, fazê-las lutar no MMA. Segundo o site 'China.org', cerca de 20 meninos já foram retirados do local.

A rotina desses meninos é treinar, comer e descansar, além de competir em pequenos torneiosReprodução Youtube

A Enbo MMA Club treina cerca de 400 garotos entre 10 e 14 anos — grande parte deles órfãos — para serem lutadores de MMA. A rotina dessas crianças é mostrada em um documentário de seis minutos que viralizou nas redes sociais do país e gerou polêmica.

A vida das crianças é treinar, comer e descansar, além de competir em pequenos torneios. Questionado se elas recebem para isso, um dos treinadores, Wang Zhou, respondeu: "Mais ou menos. Nós gerenciamos e damos quando elas precisam".

Sem contrato, os garotos que não tiverem destaque no mundo da luta são algumas vezes devolvidos, ou seja, se tornam órfãos novamente.

Segundo o jornal 'South China Morning Post', o fundador da Enbo MMA Club, o ex-policial En Bo, diz que seu objetivo é tirar as crianças do crime.

Últimas de Esporte