Treta em treino de seleção tem acusação de assédio sexual e demissão

Jornalista passa por experiência desagradável em transmissão ao vivo

Por O Dia

Rio - O meio esportivo foi, por muito tempo, considerado quase que exclusivamente masculino. No entanto, as mulheres vêm conquistando cada vez mais espaço recentemente, apesar das dificuldades vividas. Andrea Closa, jornalista peruana, passou por uma experiência desagradável durante treino da seleção de seu país, sendo assediada por um colega.

Andrea Closa foi assediada por colega durante treinamento da seleção peruanaReprodução

Representando o jornal 'Depor', Closa estava próxima de Jimmy Pulido, que cobria o treinamento pelo 'Líbero'. O repórter fazia uma transmissão ao vivo no Facebook e, em dados momentos, focalizou imagens na colega.

Segundo a jornalista, Pulido fazia comentários sexistas e expunha seu corpo, obviamente sem seu consentimento. Após conversar com o companheiro de profissão, Closa demonstrou que não confiou muito nas justificativas apresentadas.

"Muitas vezes, ele me mostrou de costas. Os comentários são terríveis e ele ficava dando risada. Pedem a ele que me coloque mais uma vez na filmagem e ele fez. Pedem para dar zoom e ele faz. Falei com ele e ele me disse que não foi sua intenção, que não havia se dado conta, que ria das piadas que seus colegas fazia e não podia gravar no outro lado porque não chegava o wifi. Há momentos em que eu não apareço (na gravação), então era óbvio que ele poderia evitar me expor."

Por conta da repercussão ruim da postagem, o 'Líbero' apagou o vídeo de suas redes sociais e, ainda por cima, demitiu Pulido, por ter 'focado de maneira inaceitável em uma jornalista', reiterando que a mesma se encontrava fazendo o seu trabalho.

Últimas de Esporte