Lutadora de MMA denuncia assédio em exame médico antes de luta

Ele aderiu a uma campanha que vem acontecendo em redes sociais

Por O Dia

Estados Unidos - A campanha #MeToo, lançada nas redes sociais para que mulheres denunciassem casos de assédio pelos quais passaram, chegou ao mundo do esporte. A lutadora de MMA Tara LaRosa revelou que foi assediada por um médico, durante exame antes de uma luta.

A americana usou sua conta no Twitter para relatar o caso, acontecido em 2010, quando LaRosa se preparava para uma luta do evento Moosin. Em exames para garantir que estava apta a subir aos ringues, um médico a ameaçou e disse que ela só lutaria se ele pudesse realizar um exame de mamas.

Tara LaRosa é lutadora de MMAReprodução Internet

"Antes do meu segundo duelo contra Roxanne Modafferi no Martian Arts, o médico insistiu em fazer pessoalmente um exame de mama como parte do exame físico pré-luta. Um exame de mama não é feito em nenhum outro estado. Quando protestei, ele disse que eu teria que escolher, ou eu o deixava fazer, ou eu não lutava."

Segundo a lutadora, tal tipo de teste não é feito em nenhum estado. O médico pertence à Comissão Atlética de Massachusetts e foi confrontado. 

Últimas de Esporte