Adversário de Demian Maia relembra 7 a 1 e ataca o Brasil: 'odeio esse lugar'

Colby Covington prometeu derrotar e humilhar brasileiro como a Alemanha fez na Copa do Mundo de 2014

Por O Dia

São Paulo - O mundo do MMA constantemente revela grandes falastrões, como o irlandês Conor McGregor. Agora, Colby Covington, meio-médio do UFC, também direcionou sua fanfarronice para um brasileiro e tem Demian Maia como alvo. Em São Paulo para o UFC, o americano revelou estar odiando o Brasil e prometeu humilhar o adversário.

Colby Covington destilou ódio ao Brasil em coletiva do UFCReprodução/Twitter

Em entrevista coletiva antes do combate, Covington pediu para que a torcida brasileira deixe lenços preparados para este sábado, quando sobe ao octógono no co-evento principal da noite, para enfrentar Demian Maia.

"Cara, estou odiando esse lugar. Mal posso esperar para voltar aos Estados Unidos. É difícil de se conseguir uma refeição decente aqui. Então f***-se o Brasil. Todo mundo vai gritar "Uh, vai morrer" , mas eles vão descobrir que eles vão morrer no sábado. Isso motiva mais. Gosto de ser o vilão. Gosto de calar as pessoas e deixá-las em silêncio. Deixem seus lenços prontos para sábado à noite."

A mensagem foi repetida em seu Twitter oficial, onde o lutador norte-americano fez inclusive uma analogia com o 7 a 1 sofrido pela Seleção na Copa de 2014, indicando que humilhará Demian da mesma forma.

Em relação à luta entre os dois, Covington prometeu que o brasileiro, de 39 anos, se aposentará após o combate. Além disso, também afirmou que pretende derrotá-lo justamente em sua maior qualidade: a luta no solo.

"Acredito absolutamente que Demian Maia vai se aposentar neste fim de semana. Mesmo sabendo que ele não quer, vou forçar sua aposentadoria. Espero que ele tenha seu discurso de aposentadoria pronto. Acho que seria fácil demais nocautear Demian Maia . Quero me desafiar. Quero ir lá e finalizá-lo, provavelmente com um estrangulamento ou uma gravata peruana."

Finalizando a sessão de entrevistas, o lutador apontou que, caso vença Demian, pretende lutar pelo cinturão da categoria dos meio-médios, apesar de acreditar que Tyron Woodley, atual campeão, se recusará a lutar com ele. E já previu que será acusado de racismo.

"Woodley vai ficar com medo, me chamar de racista e me evitar. 'Ah, sou a vítima, todos olhem pra mim, são todos racistas, querem que eu enfrente Colby, blá, blá, blá'. Quando ele pisar no octógono comigo será a última luta de sua carreira. Sou a nova geração, essa é a minha divisão agora. Não me importo com mais ninguém."

O UFC São Paulo será realizado neste sábado e conta com 12 lutas, divididas meio a meio entre os cards preliminar e principal. O evento principal da noite será o combate entre Lyoto Machida e Derek Brunson.

Últimas de Esporte