Suspeito de receber propina em escândalo da Fifa, advogado argentino se suicida

Jorge Delhon era um dos nomes citados na delação de ex-diretor que admitiu ter subornado a entidade em troca de direitos de transmissão

Por O Dia

Buenos Aires - O argentino Jorge Delhon se suicidou na última terça-feira, em Lanús, na região metropolitana de Buenos Aires, na Argentina. O advogado, de 52 anos, estava supostamente envolvido no esquema de corrupção conhecido como "Fifagate".

Jorge Delhon foi citado em delação de executivo que admitiu pagamento de propina à FifaReprodução / Twitter

Delhon foi citado na deleção de Alejandro Burzaco, ex-diretor-executivo da empresa argentina de marketing esportivo Torneos y Competencias, que admitiu ter subornado a Fifa para obter direitos de transmissão de TV das Copas de 2018, 2022, 2026 e 2030.

Burzaco revelou na última terça-feira, nos Estados Unidos, que entre 2011 e 2014 pagou propina de US$ 4 milhões a Delhon e Alejandro Paladino, coordenador do "Fútbol Para Todos", programa recentemente cancelado, no qual as partidas eram transmitidas desde 2009.

O "Fifagate" foi revelado em maio de 2015, às vésperas da reeleição de Joseph Blatter como presidente da Fifa. Uma operação policial nos Estados Unidos e Suíça realizou várias prisões.

Em dezembro do ano passado, a Torneos y Competencias negociou um acordo com as autoridades norte-americanas para pagar US$ 113 milhões de multa.

Últimas de Esporte