Cartola do possível rival do Flamengo em final é preso em ação contra máfia

Pelo menos 14 pessoas vinculadas ao clube foram presas e mais de 30 buscas policiais resultaram na apreensão de armas e dinheiro

Por O Dia

Argentina - O vice-presidente do Independiente, Noray Nakis, foi preso nesta quinta-feira em Buenos Aires acusado de integrar uma "máfia", assim como diversos torcedores organizados do clube argentino, finalista da Copa Sul-Americana.

Pelo menos 14 pessoas vinculadas ao clube foram presas e mais de 30 buscas policiais resultaram na apreensão de "armas e dinheiro", informou a ministra de Segurança do governo federal, Patricia Bullrich.

"Esta associação ilícita armava todos os negócios ilegais ao redor do futebol: venda de ingressos ilegais, estacionamentos, viagens das torcidas organizadas, extorsão de jogadores, extorsão do técnico do Independiente", explicou a ministra.

Mas a atuação do grupo não se limitou ao âmbito do futebol, segundo as investigações.

"O vice-presidente do Independiente utilizava esta torcida como força de choque para garantir negócios próprios, como o fez na compra de um hotel que precisava despejar de maneira rápida", continuou Bullrich.

"Ele me disse o tempo todo que é inocente", relatou Esteban Gutiérrez, advogado do vice-presidente do Independiente.

Por nota oficial, o clube argentino afirmou estar "à disposição das autoridades" e que "espera que estes tipos de delitos que envolvam dirigentes do futebol sejam investigados até as últimas consequências".

O clube do bairro de Avellaneda "repudia toda violência e ação de delito cometida em nome da entidade e do futebol", completou.

O Independiente é presidido por Hugo Moyano, ex-secretário-geral da Confederação Geral do Trabalho (CGT), um poderoso sindicato de grande influência no âmbito político.

Últimas de Esporte