Após finalizar José Aldo, Pitbull pega faixa marrom e dá um novo show

Copa América de jiu-jítsu reuniu 1300 atletas no último sábado, no ginásio do Grajaú Coutry Club

Por O Dia

Rio - A 11ª edição da Copa América de jiu-jítsu reuniu 1300 atletas no último sábado (10/12), no ginásio do Grajaú Coutry Club, encerrando o calendário 2017 da SJJSAF (Sport Jiu Jitsu South American Federation). A competição foi marcada por excelentes combates e presença marcante do público. Como de costume, os atletas portadores de necessidade especiais roubaram a cena e protagonizaram excelentes lutas na divisão de jiu-jítsu adaptado. O casca-grossa Jonathan "Pitbull", que tem síndrome de down e havia vencido José Aldo no Sul-Americano, em setembro, pegou um dia antes de competição a faixa marrom e já fez nova vítima: o faixa preta, grafiteiro e artista plástico Tomaz Viana, o Toz.

"Você viu o quedão que eu dei nele? Igual ao que dei no Aldo! Agora sou faixa marrom. Estou muito feliz. Quero agradecer ao meu mestre André Seabra", disse Pitbull, eufórico, após mais essa vitoria.

A disputa por equipes consagrou a GFTeam como grande campeã, seguida da Nova União, em segundo, e do Projeto Cantagalo, em terceiro. A Família Abi-Rihan ficou na quarta colocação e a Gracie Barra, na quinta.

Jonathan pegou um dia antes de competição a faixa marromFlashsport

"Parece que foi ontem que estava fazendo a primeira edição da Copa América. Deve ser porque todo ano fico naquela adrenalina, pensando cada detalhe, para tudo dar 100% certo. O evento foi um sucesso. Só tenho a agradecer à toda equipe que trabalhou com muito entrosamento e profissionalismo para que a engrenagem funcionasse perfeitamente: 1.300 atletas em 10 áreas de luta, público rotativo de quase 3.000 pessoas, cronograma cumprido e a certeza de que o trabalho está no caminho certo! Agradeço também aos coordenadores, líderes de equipes, atletas e patrocinadores que fazem este projeto se manter vivo há 11 anos", disse Raphael Abi-Rihan, organizador do evento e diretor de campeonatos da SJJSAF.

A Copa América entrou para o calendário da Federação Sul-Americana em 2016 e esse é o segundo ano que ela encerra as competições entidade. Para o presidente Cleiber Maia, foi um casamento perfeito.

"Ao longo dos anos, a Copa América se consolidou como a maior competição amistosa do Rio e uma das maiores do Brasil. O Abi-Rihan é um gestor nato, e trazê-lo para comandar as competições foi uma das decisões mais acertadas que eu tomei à frente da SJJSAF. A partir daí, fazer com que a Copa América integrasse o nosso calendário foi uma questão de tempo. Tenho certeza que essa parceria será duradoura e que conseguiremos replicar esse modelo em vários estados do Brasil já em 2018, entre eles Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais, Bahia, Goiás e Pará. Além disso, chegaremos a outras cidades do Rio de Janeiro onde temos organizadores parceiros", disse Cleiber.

A competição que abre o calendário 2018 da Federação é a Copa Sul-América de Verão, dia 25/2, em Teresópolis, região serrana do Rio. Na ocasião, serão premiados os vencedores do ranking 2017. 

Últimas de Esporte