Atleta que comoveu o mundo nos Jogos de 2016 espera pela eutanásia: 'muita dor'

Belga luta contra a tetraplegia progressiva, doença degenerativa sem cura

Por O Dia

Bélgica - A atleta paralímpica Marieke Vervoort, de 38 anos, não quer mais viver. A belga luta contra a tetraplegia progressiva, uma doença degenerativa sem cura, e está esperando autorização para realizar eutanásia.

Vervoort conquistou medalha paralímpicaEFE

"Não quero mais sofrer. É muito difícil para mim, estou cada vez mais deprimida. Eu nunca tive esses sentimentos antes. Eu choro muito. Agora, até a minha visão está desaparecendo. O médico disse que não havia nada que ele pudesse fazer, porque o problema estava vindo do meu cérebro. Então, uma neurologista ficou comigo durante a noite toda enquanto eu tinha um espasmo após o outro. Preciso da eutanásia", afirmou.

Vervoort foi campeã paralímpica no atletismo na Londres-2012 e faturou uma prata e um bronze nos Jogos do Rio-2016, onde emocionou com sua história de vida. Ela está internada num hospital na Bélgica, onde passou por uma cirurgia nesta sexta-feira, mas deve retornar para casa.

Apesar da época festiva de fim de ano, Vervoort já sabe onde quer espalhar suas cinzas após a eutanásia: "Na véspera de Ano Novo, há um costume de comer 12 uvas, uma a cada segundo antes da meia-noite. Então eles liberam 1.000 balões em uma rede. Agora estou com medo de ir sozinha, mas é o meu lugar favorito no mundo. Depois da eutanásia, quero que minhas cinzas se espalhem no oceano lá".

Últimas de Esporte