Por pedro.logato

Estados Unidos - Jon Jones mais uma vez se destaca nas manchetes sem ser pelas suas boas atuações como o principal lutador do UFC, mas pelo mau comportamento fora do octógono. Após ser flagrado no doping em janeiro por uso de cocaína, o campeão dos meio-pesados agora teve a prisão pedida depois de se envolver em um acidente de trânsito, em Albuquerque, nos Estados Unidos. Ele teria fugido sem prestar socorro à vítima, uma mulher grávida, de 20 anos, que fraturou o braço. A pena máxima prevista é de três anos de detenção, além do pagamento de multa.

Jon Jones se envolveu em acidente nos Estados UnidosDivulgação

Um policial que estava de folga teria presenciado o acidente e visto uma pessoa — que ele identificou como sendo Jon Jones — fugindo a pé do local sem prestar socorro à mulher, após pegar uma grande quantidade de dinheiro no veículo, um SUV prata, que seria alugado.

LEIA MAIS: Notícias, lutas e bastidores: tudo do mundo do MMA

De acordo com sites americanos, os policiais que vistoriaram o veículo encontraram vestígios de maconha e de um purificador usado para o consumo da droga, o que pode indicar que Jones estaria dirigindo sob o efeito do entorpecente. Isso pode agravar ainda mais a situação do lutador, pois ele se tornaria reincidente. Em 2012, Jones foi detido após ter provocado um acidente por estar dirigindo bêbado em Nova York.

O campeão também poderá ter de arcar com os custos das avarias do carro e das despesas médicas da vítima.

COMBATE AMEAÇADO

Com a polêmica sobre o acidente automobilístico, a Comissão Atlética de Nevada, nos Estados Unidos, não confirma a luta entre Jon Jones e Anthony Johnson, que está marcada para o dia 23 de maio, como o evento principal do UFC 187, em Las Vegas.

Os dirigentes da comissão argumentam que ainda não têm informações suficientes sobre o caso para determinar se a luta poderá acontecer na data inicialmente prevista. Eles também cogitam uma convocação para que Jon Jones preste mais esclarecimentos. O lutador ainda não se pronunciou sobre o caso.

Você pode gostar