Cláudia Gadelha não esquece da derrota para polonesa: 'Ainda não digeri'

Campeã peso-palha, Joanna Jedrzejczyk derrotou a brasileira em decisão polêmica por pontos e segue na mira da lutadora

Por O Dia

Rio - A derrota para Joanna Jedrzejczyk ainda está entalada na garganta de Claudia Gadelha. A brasileira surrou a polonesa por três rounds no UFC de Phoenix, em dezembro, mas viu a adversária comemorar a vitória no final, por decisão dividida dos jurados. Com luta marcada contra Jessica Aguilar no Rio, dia 1º de agosto, Claudinha já tem seus passos programados por ela na organização. E possui contas a acertar.

LEIA MAIS: Mais leve, Gadelha quer usar a pressão contra a estreante Aguilar

"Ainda não digeri aquela derrota. Nada na minha vida foi fácil e meu objetivo é o cinturão, não vou negar isso. Eu acho que a vida me deu mais uma dificuldade para chegar ao meu objetivo final e eu sei que vou chegar. Em relação a Joana, eu tomei um knockdown, tomei um soco faltando dez segundos, mas antes disso eu estava dominando. Estava em cima no segundo e terceiro rounds. Penso que sou uma lutador invicta. O que aconteceu foi uma questão administrativa na hora de pontuar, os juízes erraram. Na minha cabeça, eu nunca perdi, ela não me derrotou e sabe muito bem disso. Ela está aí como campeã e continua falando o meu nome. Eu tenho certeza que quando ela coloca a cabeça no travesseiro, ela lembra da minha mão, das porradas e das quedas que ela tomou e da derrota que ela teve. Ela só saiu vitoriosa pela questão administrativa mesmo", disparou Claudia Gadelha

Gadelha diz se sentir ainda invicta mesmo tendo sido derrotada por Joanna JedrzejczykEdsel Britto / Agência O DIA

Na opinião da lutadora potiguar, Joanna tem muitas falhas em seu jogo e não é uma atleta completa. Sendo assim, é questão de tempo para que ela seja destronada do topo da categoria peso-palha do Ultimate.

"Todo mundo diz que está impressionado com a Joana, que ela melhorou. Ela realmente melhorou, mas as adversárias que ela enfrentou não estão no mesmo nível. A Carla Espaza é uma boa lutadora, mas não sabe nada em pé. A Jéssica Penning é uma lutadora boa, mas vem de uma categoria de baixo, tem força diferente. Então, a Joana precisa enfrentar adversárias do porte e da categoria dela e que saibam andar frente como ela. Pra mim ela melhorou pouca coisa, não foi isso tudo, não. Ela precisa enfrentar adversárias do nível dela", declarou, Claudinha, deixando claro que só ela pode derrubar a polonesa do topo.

"Ela sabe que sentiu minha mão. Depois da luta, ela veio falar comigo pedindo desculpas, falando que foi um duelo parelho. P..., pelo amor de Deus, né? Enfim, ela sabe que sentiu as quedas, a minha mão, sabe que eu fui totalmente diferente das adversárias que ela tem enfrentado atualmente. Eu sei que não posso ficar com a cabeça voltada para ela, para essa luta, mas o que é dela está guardado", afirmou.

UFC 190

1º de agosto, no Rio de Janeiro

CARD PRINCIPAL

Peso-galo: Ronda Rousey x Bethe Correia
Peso-meio-pesado: Mauricio Shogun x Rogério Minotouro
Final do TUF Brasil 4 peso-leve: Fernando Açougueiro x Glaico França
Final do TUF Brasil 4 peso-galo: Dileno Lopes x Reginaldo Vieira
Peso-pesado: Stefan Struve x Rodrigo Minotauro
Peso-pesado: Antônio Pezão x Soa Palelei
Peso-palha: Cláudia Gadelha x Jessica Aguilar

CARD PRELIMINAR

Peso-meio-médio: Demian Maia x Neil Magny
Peso-meio-pesado: Rafael Feijão x Patrick Cummins
Peso-meio-médio: Warlley Alves x Nordine Taleb
Peso-galo: Iuri Marajó x Leandro Issa
Peso-médio: Vitor Miranda x Clint Hester
Peso-galo: Hugo Wolverine x Guido Cannetti

*Colaborou Edsel Britto

Últimas de _legado_MMA