Com jiu-jítsu em dia, brasileiros dão show de finalização no card preliminar

Público foi à loucura com Warlley Alves e Demian Maia no UFC

Por O Dia

Rio - Com duas belas finalizações, Warlley Alves e Demian Maia empolgaram a torcida brasileira no card preliminar do UFC 190, neste sábado, na Arena HSBC, Barra da Tijuca. Um bom aperitivo para uma noite que ainda vai ter as finais do reality show 'The Ultimate Fighter Brasil 4' e o aguardado duelo entre Ronda Rousey e Bethe Correia. Sem esquecer, é claro, da aguardada revanche entre Maurício Shogun e Rogério Minotouro.

Campeão da terceira edição do TUF Brasil, Warlley Alves mostrou superioridade e atropelou, com uma guilhotina, Nordine Taleb, aos 4min11s do R2. Não satisfeito, Demian Maia fez mais: sufocou Neil Magny do início ao fim, mostrou boa transição na luta de solo e esperou o momento certo para finalizar, com mata-leão, 2min52s do R2. O brasileiro volta a vencer desta forma após três anos. Quem decepcionou foi Rafael Feijão e Hugo Wolverine. Eles foram derrotados por Patrick Cummins e Guido Cannetti, respectivamente.

Demian Maia fechou card preliminar com vitóriaBruno de Lima

Acompanhe abaixo um resumo do card preliminar:

Peso-galo: Hugo Wolverine x Guido Cannetti

A luta que abriu o card preliminar não empolgou os fãs, que ainda chegavam à Arena. Hugo Viana e Guido Cannetti protagonizaram um duelo que faz jus à rivalidade entre Brasil e Argentina. O Hermano amarrou o quanto pôde e soube usar bem as quedas para pontuar. O momento mais empolgante ocorreu quando o brasileiro contragolpeou com um chute baixo e levou Cannetti ao chão. Mesmo sem muita efetividade nos golpes, o argentino venceu por decisão dos jurados (triplo 29 a 28). Na saída do octógono, ainda ironizou e cantou "decime que se siente" para os brasileiros. Hugo Wolverine se complica na divisão dos galos, com duas derrotas consecutivas.

"Infelizmente foi um revés, a estratégia foi bem traçada. Levei um chute que não esperava. O wrestling não foi como queria, precisa amadurecer mais e buscar evoluir", afirmou Hugo Viana.

Hugo Wolverine perdeu para argentinoBruno de Lima

Peso-médio: Vitor Miranda x Clint Hester

Finalista da terceira edição do TUF Brasil, Vitor Miranda entrou na arena ao som da música 'Tropa de Elite' e levantou a galera. Desde o início, o americano deixou claro que não ia trocar com Vitor. Quando teve chance, clinchou o brasileiro junto à grade e levou ao chão. Vitor demorou a entrar no combate e só reverteu o prejuízo, raspando o rival, a partir dos 2min30s. Por cima, o lutador da Team Nogueira desferiu socos e cotoveladas que minaram Clint Hester.

A volta para o segundo assalto foi bem diferente. Vitor percebeu o que tinha que fazer logo de cara: defendeu bem o double leg, abrindo o compasso, e controlou Hester. Novamente o combate voltou de pé e Vitor usou sua experiência para colocar o oponente em dificuldade. Ele novamente defendeu uma entrada de queda, ficou por cima e martelou até que o árbitro encerrasse o duelo, aos 2min38s do segundo round. Segunda vitória do brasileiro em três lutas no UFC.

"Eu sou um lutador que vem do muay thai, mas eu sei o MMA. Isso aqui é o UFC, o maior o esporte do mundo. Eu tenho que aprender e evoluir cada vez mais em cada luta que eu faço", frisou Vitor Miranda, sorridente.

Vitor Miranda venceu a sua segunda luta no UFCBruno de Lima

Peso-galo: Iuri Marajó x Leandro Issa

O primeiro combate da noite envolvendo brasileiros teve início fulminante, mas um fim de round de dar sono. Marajó partiu com tudo para cima de Leandro Issa, o Brodinho. Chegou a desequilibrar o adversário com uma troca de golpes franca, mas a loucura inicial deu lugar à cautela. O duelo foi para o solo e Brodinho controlou Marajó. Buscou a montada, mas não conseguiu encaixar uma finalização antes do fim do round.

Na segunda parte, Marajó voltou pouco mais objetivo: derrubou Leandro logo no início, mas não avançou. Em seguida, Leandro tentou a queda, mas acabou caindo por baixo. Montado, Marajó desferiu golpes fortes, mas o adversário escapou, usou a grade para subir e tentou catar o double leg, mas sem sucesso. No fim, Marajó conectou um bom golpe de encontro e Brodinho balançou, mas foi salvo pelo gongo.

No terceiro round, Marajó foi pra cima e encurralou Leandro na grade, com socos e um chute na costela. O oponente, então, catou uma das pernas de Iuri, que reagiu. Girou, conseguiu a montada, mas não por muito tempo. O combate voltou em pé e Brodinho sentiu a mão de Marajó. Sangrando muito, Leandro foi um guerreiro e resistiu até o fim, mas deu Marajó por decisão unânime (29 a 28, 29 a 28 e 29 a 27)

Iuri Marajó levou a melhor em duelo de brasileirosBruno de Lima

Peso-meio-médio: Warlley Alves x Nordine Taleb

Muito confiante, Warlley Alves defendeu chute de Taleb nos primeiros segundos e levou o adversário ao chão. Rápido, o campeão do TUF Brasil 3, nos meio médios, ganhou a meia guarda, mas não conseguiu estabilizar por muito tempo. O combate voltou de pé e Warlley se mostrou agressivo. Caçou Taleb no cage e conectou um cruzado de direita que culminou com um knockdown. Levando a pior, o canadense tentou o single leg sem sucesso e depois grampeou o brasileiro contra a grade antes do fim do round.

Sempre à frente, Warlley aproveitou chute telegrafado de Taleb, segurou a perna e aplicou nova queda. Na meia guarda, por cima, Warlley aplicou cotoveladas e socos, enquanto o canadense se debatia até conseguir se reerguer. De pé, os dois ficaram clinchados junto à grade e Taleb deu o pescoço. O brasileiro ajustou a guilhotina, caiu e fechou a guarda. Vitória por finalização de Warlley Alves, aos 4min11s do R2.

"Eu estou me sentindo bem, muito feliz. Sabia que ele colocaria a cabeça para esse lado. Quando ele fez isso, eu sabia que o que tinha que fazer e foi só finalizar. Espero que eu possa ganhar o bônus com essa finalização", cobrou Warlley.

Warlley Alves levantou o público com vitóriaBruno de Lima

Peso-meio-pesado: Rafael Feijão x Patrick Cummins

Temendo a mão pesada de Rafael Feijão, Cummins não se arriscou a trocar e foi logo buscando a queda. Derrubou o brasileiro, caiu por cima, mas Feijão conseguiu levantar. Cummins então, clinchou, espremeu contra a grade, cinturão e derrubou mais uma vez. Rafael não conseguia soltar seu jogo, e levou mais duas quedas na sequência. O objetivo do americano era pontuar sem correr riscos. Mas um soco de Feijão, já no fim, sangrou o adversário.

O segundo round começou com Cummins agarrado a Rafael Feijão, na grade. Feijão tentou trocar, mas foi levado ao solo outra vez. Dentro da guarda do brasileiro, Cummins desferia golpes pouco efetivos e sangrava demais. De longe, seu nariz parecia quebrado. O árbitro paralisou o combate e o médico atendeu o lutador. No retorno, Feijão se levantou, partiu para cima e acertou uma joelhada voadora no tórax do rival.

Muito magoado, Cummins resolveu não arriscar e definiu a luta. Encurtou a distãncia, catou o double leg e desferiu cotoveladas até que o árbitro parasse a luta, aos 45s do terceiro round. "Quero entrar no top 10 do UFC. É uma estrada longe e eu vim para ficar", disse o vencedor.

Luta entre Rafael Feijão e Patrick Cummins foi bem sangrentaBruno de Lima

Peso-meio-médio: Demian Maia x Neil Magny

Campeão mundial de jiu-jítsu, Demian Maia deu aula na HSBC Arena. Controlou Neil Magny do início ao fim, com atuação irrepreensível. No primeiro round fez boas transições, montado sobre o adversário e só não finalizou porque o tempo acabou. Na volta, o americano não escapou do afiado jogo de solo do brasileiro. Demian conduziu o combate para o solo, controlou, ganhou as costas do rival e encaixou o mata-leão, aos 2min52s do R2. Demian não finalizava desde outubro de 2012, quando bateu Rick Story.

"Quero agradecer a todo mundo que veio. Quero dizer que eu luto por nós, pelo jiu-jítsu brasileiro. Fico feliz de poder representar aqui a nossa arte marcial", declarou Demian, sendo muito aplaudido.

Últimas de _legado_MMA