Por renata.amaral

Estados Unidos - Que Ronda Rousey é a maior lutadora de MMA da história, não há duvidas. Invicta no UFC e com um currículo invejável de cinco lutas e cinco vitórias incontestáveis no Ultimate, sendo três por nocaute e duas por finalização, a americana parece imbatível. Com a pressão e a expectativa cada vez maiores sobre ela, a atleta analisou sua situação no esporte e fez um desabafo sobre as suas oponentes.

LEIA MAIS: Notícias, lutas e bastidores: tudo do mundo do MMA

"Eu percebi que as minhas adversárias querem ser campeãs do UFC e ganhar todo o respeito que esse título traz, mas não estão dispostas a fazer o que tem que ser feito para chegar lá. Elas não querem essa vida de vigilância, pressão, trabalho incessante e tudo mais. Elas querem uma coisa sem a outra. Mas as duas vêm juntas. Uma coisa que vem trabalhando contra elas é o momento em que elas me enfrentam e sentem um um pequeno gosto do que é a vida de quem se torna uma desafiante. Tudo se amplifica. E quando você se torna a campeã, o que já era muito, dobra a cada defesa de cinturão. É sempre mais, mais, mais, e acho que nenhuma delas ficaria feliz com essa vida. De verdade, elas não querem isso", analisou Ronda no podcast de Joe Rogan.

Ronda Rousey analisou suas adversárias no UFCDivulgação / Zuffa LLC

A trajetória de sucesso, que teve início no judô - Ronda conquistou medalha de bronze na Olimpíada de 2008 -, parece já ter data marcada para terminar. A lutadora, de 28 anos, afirmou que não pretende continuar por muito tempo dentro do octógono.

"Não vou lutar até passar dos 30, e quando falo passar dos 30, me refiro a 31 ou 32 anos", concluiu.

Você pode gostar