Por pedro.logato

Rio - Felipe Micheletti ainda sonha com nova chance de voltar a ser o grande campeão do WGP Kickboxing, o maior torneio de luta em pé da América Latina, mas acabou destronado por Guto Inocente na defesa do título. Mesmo assim, o lutador de Sorocaba ainda sonha com o cinturão e garante que não vai desistir. Escalado para o WGP #30, no dia 7 de maio, em São Bernardo do Campo, contra Haime Morais, na divisão até 94kg (pesados), Micheletti está pronto para continuar galgando pelo sonho.

“Gostaria de ter a chance de disputar o cinturão novamente. É um dos meus objetivos, ser campeão do WGP. Acredito que ainda estou na linha de uma nova disputa. Estou sempre focado tentando evoluir cada vez mais. Vou ser campeão. É meu objetivo”, comenta.

Felipe Micheletti ainda sonha com nova chance de voltar a ser o grande campeão do WGP Pedrinho Moraes

E para estar entre os melhores, Felipe fez uma fase de treinamentos na Nova União, no Rio de Janeiro, uma das equipe mais respeitadas do MMA mundial e que abriga nomes como José Aldo, Renan Barão, além do campeão do WGP da categoria super-leve (até 64,5kg), Emerson Falcão.

“Fiz um intercâmbio na Nova União. Tive essa grande porta. Passei algumas semanas lá e fazendo sparring. Aperfeiçoei a tática e técnica para a luta. Vou fazer trabalho com meu preparador físico. Esse trabalho foi muito importante para progredir e enxergar melhor algumas coisas. Isso ajudou muito para acelerar muitas coisas”, relembra.

Show para os fãs e luta ao lado dos amigos

Além da preocupação de ser campeão do WGP, Felipe Micheletti também garante que seu grande foco ao entrar no ringue é dar o melhor possível para os fãs da trocação.

“Minhas expectativa para a luta é boa. Minha maior preocupação é sempre fazer um bom show. Uma luta que posso colocar em prática tudo o que trinei. Pode ter certeza que vai ser uma excelente luta. Meu adversário é um atleta de qualidade, então não vai faltar trocação”, conta.

Natural de Sorocaba, que fica a cerca de 140km de distância de São Bernardo do Campo, MIcheletti vê a luta em seu Estado natal como um trunfo para dar mais ânimo e motivação.

“Lutar perto de casa é ótimo. Sou de Sorocaba e as pessoas que me apoiam e estão próximas de mim, grande parte é daqui do Estado. Isso facilita até para que elas possam assistir. Além do mais é uma honra estar próximo de todos e se tudo correr bem comemorar com eles”, celebra.

Você pode gostar