Por fabio.klotz

Rio - Em pouco mais de um ano, Gabriel passou de quase dispensado a titular absoluto no meio-campo do Botafogo. Perto de completar 21 anos, o garoto vive sua melhor fase desde o início no futebol e espera manter o ótimo nível de atuação nesta quarta-feira, às 22h, contra o Bahia, em Aracaju, para continuar a merecer muitos elogios do técnico Oswaldo de Oliveira.

Gabriel agradece confiança de Oswaldo e quer brilhar ainda maisDivulgação

“Estou muito feliz com o momento que estou passando. No ano passado apareci e tive um momento bom, mas acho que nesta temporada estou mais sólido e maduro. Fico muito feliz com o que o Oswaldo vem falando de mim. Meu futebol cresceu muito pelo esquema tático que ele usa e a confiança que me passa”, disse o volante.

Terceiro colocado no Brasileirão, com sete pontos, o Alvinegro não se considera favorito no confronto com o Tricolor baiano, ainda mais depois que o time comandado por Cristóvão Borges surpreendeu o Internacional na última rodada.

“Eles ganharam do Inter em Porto Alegre e a gente sabe que é difícil trazer pontos de lá. Então, o Bahia vem embalado. Temos que impor nosso ritmo para conseguirmos a vitória”, alertou Gabriel.

Será a primeira partida na competição sem Lodeiro, que se apresentou à seleção uruguaia. Por outro lado, Fellype Gabriel, que desfalcou o time na vitória sobre o Cruzeiro, retorna. Oswaldo deve optar por completar a trinca de meias com Vitinho, outro garoto que vem sendo muito elogiado pelo treinador. Apesar da importância do baixinho camisa 14, não há dúvida de que sele será substituído à altura.

“O Lodeiro vive um grande momento no Botafogo e na seleção e com certeza vai fazer falta, mas tenho certeza de que quem substituí-lo vai manter o ritmo. O elenco do Botafogo é forte justamente por isso, por conseguir repor os desfalques sem deixar o nível cair”, analisou Gabriel.

Por ser no estádio Lourival Batista, em Aracaju, a partida deve contar com a presença de muitos torcedores alvinegros, que querem saudar os campeões cariocas. A pressão da torcida do Bahia, com certeza, será muito menos sentida do que se o jogo fosse disputado no Pituaçu ou na Fonte Nova.

Você pode gostar