Por pedro.logato

Rio - Favoritismo é um pensamento que não se encaixa no estilo de trabalho do técnico Oswaldo de Oliveira. Mesmo com sua equipe ocupando a terceira colocação da tabela do Campeonato Brasileiro, ele não se ilude e prevê um duelo complicado com o Náutico — lanterna da competição — no domingo, às 18h30, em São Januário.

Oswaldo quer seriedade contra o TimbuDivulgação

Para o treinador, o Botafogo terá que entrar em campo muito concentrado para conquistar a vitória e, de quebra, voltar à liderança.

“O Náutico vem procurando afirmação e montar um novo ciclo. No Brasileiro, isso acontece muito. Algumas equipes iniciam mal, mas depois têm outra realidade. Temos de procurar vencer, com seriedade, e não podemos ignorar o adversário de forma alguma. Sabemos que o Náutico está se reforçando para se reabilitar, para permanecer lá em cima”, explicou Oswaldo de Oliveira.

Sem o volante Marcelo Mattos, suspenso, e o lateral-direito Lucas, que ficará três meses afastado se recuperando de uma fratura no tornozelo esquerdo, o técnico vai optar pelo retorno de Gabriel ao meio-campo e pela escalação do garoto Gilberto, na lateral alvinegra.

“Ele já atuou, iniciou algumas partidas e foi bem. Nossa busca é para que consiga se firmar e se manter em desenvolvimento”, disse Oswaldo sobre Gilberto, que atuou na derrota por 2 a 1 para o Grêmio, domingo, em Porto Alegre, quando Lucas saiu machucado na etapa final.

Durante o treino de ontem, no Engenhão, o técnico trabalhou jogadas ensaiadas e cobranças de bola parada. Para ele, esse tipo de situação de jogo pode ajudar o Botafogo a passar com mais tranquilidade pelo Timbu.

“Faz muita diferença. Hoje há uma limitação dos espaços, aí existe um contato e uma dinâmica maiores. No jogo, vamos ter iniciativa e veremos essas jogadas com frequência”, apostou Oswaldo.

Grupo compra 20% dos direitos do zagueiro Dória

O Botafogo recebeu uma ajuda providencial para conseguir segurar Dória, em General Severiano. Ontem, um grupo de investidores — formado por torcedores — confirmou a compra de 20% dos direitos econômicos do zagueiro, que pertenciam ao BMG. Antes de vender a sua parcela, o banco tentou comprar o direito total do jogador.

Com a ajuda do grupo, o clube — que já possuía 40% dos direitos de Dória —, somará agora 60% do passe do defensor, tendo mais voz para decidir pela sua permanência no clube. Os outros 40% dos direitos ainda pertencem aos empresários do atleta. Recentemente, o camisa 21 recebeu sondagens de dois clubes portugueses.

Representantes do Porto e do Benfica chegaram a vir ao Brasil para tentar contratar o jogador.

Você pode gostar