Por pedro.logato

Rio - O reencontro com dois velhos conhecidos é motivo de preocupação para o técnico Oswaldo de Oliveira na partida de sábado, às 18h30, contra o Grêmio, no Maracanã. Experiente, o comandante alvinegro reconhece que é preciso muita atenção para neutralizar os atacantes Barcos e Kleber — já enfrentou um e trabalhou com o outro — e levar o Glorioso não só à vitória, mas à vice-liderança do Campeonato Brasileiro.

Oswaldo não definiu escalação alvinegraCarlos Moraes / Agência O Dia

Carrasco do Botafogo no ano passado — marcou sete gols em quatro jogos —, Barcos não terá marcação especial, mas é elogiado por Oswaldo. Ao responder como parar o Pirata, o técnico é direto.

“Marcar o Barcos só com torpedo. Ele é meu adversário desde que jogava na China. Nós disputávamos a Liga dos Campeões da Ásia, ele no Shanghai (Shenhua) e eu no Kashima (Antlers). Desde aquela época, é um atacante habilidoso e rápido. Todo cuidado com ele é pouco”, alerta o técnico, sobre o argentino que tem sete gols no Brasileiro.

Se não bastasse o duelo com o Pirata, Oswaldo de Oliveira também terá que montar uma estratégia para parar Kléber, vice-artilheiro do Grêmio, com cinco gols. O técnico alvinegro, porém, lembra que conhece bem o Gladiador.

“Fui eu quem o lançou no São Paulo, em 2003. O Kleber é aquele guerreiro de sempre, um jogador que tem raça, é competidor. Um atleta que qualquer treinador quer no time”, elogia Oswaldo.

MISTÉRIO É MANTIDO

Questionado sobre a equipe que irá a campo diante do Grêmio, Oswaldo de Oliveira deixou em aberto dois setores do time. No meio-campo, ele ainda não sabe vai se vai contar com Renato para substituir Gabriel, suspenso — o volante voltou a treinar essa semana, após se recuperar de uma lesão na coxa esquerda.

Já no ataque, Elias continua entregue ao departamento médico e ainda ganhou a companhia de Hyuri, que, ontem, reclamou de dores musculares e foi vetado. Com isso, Henrique e Bruno Mendes são os candidatos à única vaga na frente.

Você pode gostar