Por bernardo.argento

Rio- Seedorf não quer saber de surfar a onda de pessimismo que tomou conta dos alvinegros depois da derrota para o Goiás, que reduziu a diferença entre os dois times para apenas um ponto. O craque tem feito grande esforço para remar contra a maré e, com o aval da campanha do Botafogo na temporada, exige confiança de todos na reta final do Campeonato Brasileiro.

O camisa 10 insiste em negar qualquer ligação entre as decepções dos últimos anos e a atual situação vivida pelo time. O assunto chega a tirar o holandês do sério e, na quinta-feira, durante entrevista coletiva, ele resolveu pôr um fim nos pensamentos negativos.

“Por que se insiste nisso? Ninguém fala o que o Botafogo vem fazendo. Levem em consideração o investimento que temos. Com todo respeito, o que o Corinthians e o Fluminense fizeram este ano, mesmo tendo mais verba? Não vivi 100 anos de Botafogo nem cinco. Quando cheguei, me pediram para transformar o Botafogo para que passasse a ser mais otimista. Acho que estou ajudando. Este grupo é diferente. Passamos por muita coisa internamente e superamos com união. Nada de fora vai entrar no nosso vestiário”, garantiu Seedorf.

Seedorf não quis comentar sobre interesse do MilanMárcio Mercante / Agência O Dia

Mais experiente do elenco, o craque está tentando, ao máximo, blindar o grupo para que todos estejam com o mesmo foco nos seis jogos que faltam para o fim da competição. Prova disso foi a esquiva quando questionado sobre a substituição aos 17 minutos do segundo tempo, na derrota para o Goiás. “Você entende que, se eu responder, vou criar polêmica... Então, não vou responder. Mas nunca gostei de ser substituído. Significa que alguma coisa que fiz não foi certa”, simplificou o camisa 10.

Diferentemente de terça-feira, Seedorf ontem foi a campo com os companheiros e participou de treino muito puxado sob forte chuva.

Holandês evita falar sobre o Milan

Totalmente focado em levar o Botafogo à Libertadores da América depois de 18 anos, Seedorf não expõe seus pensamentos e planos para o futuro. Um possível retorno ao Milan como treinador, em meados de 2014, não foi confirmado nem negado pelo craque, que optou pelo silêncio, mantendo o clima de mistério no ar.

“Não vou comentar, não é hora de falar sobre isso”, esquivou-se o camisa 10. A imprensa italiana garante que o jogador já assinou pré-contrato com o ex-clube para iniciar sua carreira como treinador por lá no ano que vem. Seedorf é muito querido pelos torcedores e amigo de Berlusconi, dono do clube.

Você pode gostar