Pra fugir logo do Furacão

Botafogo tem a obrigação de vencer o Atlético-PR e voltar ao G-4 para agradar a torcida

Por O Dia

Rio - No olho do furacão, o Botafogo tem a obrigação de vencer o Atlético-PR, apelidado justamente com o nome do fenômeno natural, para ter a chance de terminar a rodada novamente no G4. Será a penúltima partida do Alvinegro no Maracanã neste Brasileirão, mais uma chance para que as pazes com a torcida sejam feitas depois de uma semana de protestos.

Na primeira oportunidade desta semana, decepção. O empate em 0 a 0 com a Portuguesa frustrou a todos e fez com que o Glorioso perdesse a vaga no grupo que garante presença na Libertadores do ano que vem, após 29 rodadas.

Oswaldo sabe da importância do duelo deste sábadoDivulgação

A partida serviu para mostrar que a pontaria anda mal. As chances criadas não foram aproveitadas e, sem tempo para treinar entre os jogos, Oswaldo de Oliveira usou o papo para tentar colocar o pé de seus jogadores na fôrma.

“Acho que o fator que mais atrapalhou contra a Portuguesa foi a ansiedade. Normalmente, se nossa equipe estivesse mais equilibrada, teria feito um gol e isso poderia ter facilitado. É nesse sentido que estamos trabalhando com os jogadores. Mostramos vídeo e conversamos muito. Não adianta o cara ficar aflito na cara do gol. Tem que ter tranquilidade”, disse o treinador alvinegro.

Outro dado que confirma o mau momento do ataque do Botafogo é o jejum de Elias. O centroavante titular não balança a rede desde a vitória sobre o Santos, pela 21ª rodada. Em seu favor, ele tem o atenuante de ter ficado fora de algumas partidas por conta de uma lesão na coxa esquerda.

Rafael Marques, artilheiro da equipe no Brasileirão, também anda brigado com as redes. Desde a 27ª rodada, ele está estacionado com 10 gols.

Nos últimos três jogos, o Glorioso marcou apenas um gol e acabou não conseguindo nenhuma vitória. Já passou da hora desta relação ser retomada, pelo bem do fim de ano alvinegro. Todo o planejamento para 2014 está baseado no retorno do time à Libertadores depois de 18 anos. Restam quatro partidas para evitar que a campanha desta temporada tenha o mesmo desfecho das duas últimas.