Por elisa.souza

Rio - O Botafogo enfrenta o Coritiba neste domingo, às 17 horas (de Brasília), no Estádio Couto Pereira, em partida válida pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. O duelo é importante para os dois clubes, que precisam ganhar por objetivos opostos. O time alvinegro, com 58 pontos, visa uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores da América. A equipe alviverde, por sua vez, soma 42 pontos e, na zona de rebaixamento, pode ter queda definida em caso de derrota e combinação de resultados desfavorável.
Diante deste cenário, vem na lembrança de muitos o que aconteceu na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2009. Naquela ocasião, o Coritiba recebeu o Fluminense também no Couto Pereira e um empate por 1 a 1, aliado ao triunfo por 2 a 1 do Botafogo, que também corria risco, sobre o Palmeiras, acabou rebaixando o clube paranaense para a Série B.

O que se viu após a partida foi um festival de cenas lamentáveis. Torcedores invadiram o gramado, brigaram com jogadores dos dois times e o estádio virou um palco de guerra. Semanas depois, o Coritiba foi julgado pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) e acabou perdendo o mando de campo por vários jogos, voltando a atuar em seu estádio apenas na metade da Série B do ano seguinte.

Jefferson minimiza risco de confusão na partida contra o CoritibaDivulgação

Se aquelas cenas ainda povoam o imaginário de torcedores e jornalistas, os atletas do Botafogo parecem minimizar aquelas lembranças. Na visão deles, não deve haver nenhum tipo de preocupação.

Publicidade
"Estamos preocupados apenas com o que vai acontecer dentro das quatro linhas. Não existe nenhum temor por parte de segurança, pois entendemos que existem pessoas responsáveis olhando por isso", afirmou o goleiro Jefferson.
Na visão do zagueiro Bolívar, a punição sofrida pelo Coritiba em 2009 acaba afastando qualquer possibilidade de que cenas como aquelas se repitam no duelo deste domingo.
Publicidade
"O Coritiba pagou por aquilo e com certeza não deixará que aconteça de novo. Com certeza existem pessoas olhando por isso e garantindo a segurança do jogo. Não acredito em quebradeira. Estamos tranquilos quanto a isso e pensando apenas no que precisamos fazer para que o Botafogo consiga se aproximar da vaga na Copa Libertadores", completou.
Para ser rebaixado nesta rodada, além de perder para o Botafogo, o Coritiba teria que amargar uma combinação de quatro jogos. A agremiação alviverde cairia se o Bahia empatasse com o Cruzeiro, em Belo Horizonte, e Portuguesa, Criciúma e Fluminense derrotassem, respectivamente, Ponte Preta, São Paulo e Atlético-MG.
Publicidade
Para o embate em território paranaense, o time do Botafogo ainda não está definido. O lateral direito Edilson, que foi advertido com o terceiro cartão amarelo no empate por 1 a 1 com São Paulo, cumpre suspensão e dá vaga a Gilberto. Bolívar retorna após suspensão na vaga de Dankler. O volante Renato está sendo reavaliado, mas pode ser barrado mesmo que esteja em boas condições, já que o técnico Oswaldo de Oliveira estuda a entrada de Marcelo Mattos para melhorar o poder de combate do time.
A definição da formação que vai a campo deverá acontecer nos treinos de quinta-feira e sexta-feira, ambos previstos para o período da manhã, no campo anexo do Engenhão. A delegação viaja neste sábado para ao Paraná.
Publicidade