Por bernardo.argento

Rio - Seedorf e Oswaldo de Oliveira foram os protagonistas da cena mais marcante na vitória do Botafogo sobre o Criciúma, por 3 a 0, neste domingo, no Maracanã. Ao 43 minutos do segundo tempo, o holandês foi substituído por Hyuri. Na saída do campo, o meia, chorando, deu um forte abraço no técnico, que também estava muito emocionado. Na entrevista coletiva depois da partida, ao ser questionado se o momento foi uma despedida, o treinador não escondeu a chance de deixar o Alvinegro.

"Seedorf é um cara especial. Todo mundo sabe. Tirei ele no fim para receber aquela homenagem. Claro que fica um clima de incerteza, pois futebol é um balcão de negócios. Tem que saber lidar com isso. Naquele abraço, traduzimos tudo o que passamos esse ano. Foi muito bacana o trabalho. Da minha parte e da dele, estávamos expressando um carinho de um pelo outro. Mas há uma atmosfera de que nos separem mesmo", disse Oswaldo.

Jogadores e comissão técnica celebram vitória sobre o Criciúma Márcio Mercante / Agência O Dia

No decorrer do ano, Oswaldo e Seedorf trocaram elogios em vários momentos. Contudo, o holandês se mostrou decepcionados por ter sido substituído em alguns jogos. Apesar disso, o meia garantiu que o comandante alvinegro era um treinador que ele sempre buscou na vida.

"Nunca escondi que isso me deixa feliz. Vaidade sobressai, ouvir isso de alguém como o Seedorf é algo que me deixa orgulhoso", disse o treinador.

Oswaldo de Oliveira tem contrato com o Botafogo até o final deste ano. O técnico já recebeu algumas propostas e afirmou que vai decidir seu futuro nos próximos dias. Já Seedorf, que possui contrato até junho de 2014, vem sendo especulado como possível novo treinador do Milan.

Você pode gostar