Por rafael.arantes
São Paulo - Campeão carioca, o Botafogo entrou no Brasileirão de 2013 indicando que brigaria pelo título. Chegou a liderar e entrou no segundo turno como principal concorrente do Cruzeiro, mas não conseguiu manter o ritmo. A queda de rendimento não só afastou o time da ponta da tabela como o fez até sair do grupo dos quatro melhores. Mas com a vitória na última rodada, reconquistou o quarto lugar. A posição, aliada à derrota da Ponte Preta na final da Copa Sul-Americana, resultou no retorno do clube à Libertadores após 18 anos.
A estreia no principal torneio do continente acontece já no fim de janeiro, quando começa a disputar com o Deportivo Quito uma vaga no Grupo 2, ao lado de Unión Española (Chile), Independiente José Terán (Equador) e San Lorenzo (Argentina). Para esse desafio, o Botafogo contará com um novo treinador. Trata-se de Eduardo Hungaro, que comandava a equipe de juniores e também era auxiliar do técnico antecessor -- Oswaldo de Oliveira, que foi para o Santos.
Hungaro terá grandes desafios em 2014André Mourão / Agência O Dia

Logo em sua apresentação, Hungaro não pensou duas vezes para apontar a prioridade botafoguense para 2014: a Libertadores. Será apenas a quarta participação do clube na competição. Nas três anteriores, passou sempre da fase de grupos. A preocupação para repetir o feito e chegar o mais longe possível em 2014 é tão grande que duas equipes distintas serão formadas. A principal ficará voltada para o torneio continental. A composta pelos reservas disputará o Campeonato Carioca.

Publicidade
Vice-presidente de futebol do Botafogo, Chico Fonseca, já deixou claro que nenhuma contratação de grande impacto será realizada. O objetivo da diretoria é conseguir honrar os compromissos e manter os salários do atual elenco em dia. Até aqui, a única aquisição que parece bem encaminhada é a de Jorge Wagner, meia de 35 anos que está há três temporadas no futebol japonês.
Entre as possíveis novidades, além de Jorge Wagner, estão apenas jogadores que chegariam para compor elenco. A lista de nomes que podem deixar o clube é maior. Lima, lateral-esquerdo, não faz parte dos planos da comissão técnica, bem como o zagueiro Rodrigo Defendi. Cria das categorias de base, o atacante Sassá deverá ser emprestado para adquirir mais experiência.
Publicidade
Hungaro pode ter problema com dois de seus volantes na temporada. Gabriel pode receber nos próximos dias uma proposta do Porto, o que tornaria complicada a sua permanência. Já Renato tem contrato que acaba no meio do ano e ainda não foi procurado pela diretoria para discutir uma renovação. O atacante Bruno Mendes tem sondagens de Atlético-PR e de clubes de fora, mas conta com a admiração do treinador, que vai perdir a sua permanência.