Por pedro.logato

Rio - Presidente do Botafogo na época que a equipe participou pela última vez da Libertadores, Carlos Augusto Montenegro teve que dar sua opinião sobre o ano que o Glorioso retornou a competição sul-americana.

Em entrevista à Rádio Tupi, o ex-dirigente fez muitos elogios a temporada do Botafogo que terminou com a conquista do Carioca, além da vaga para a principal competição do continente.

Montenegro elogiou diretoria alvinegraDivulgação

"Acho que o Botafogo mereceu, fez por merecer isso, passou todo campeonato brigando na ponta. Eu acho que foi um ano difícil com o problema que nós tivemos com o Engenhão, com a falta de receita, mas tivemos um campeonato estadual brilhante sem necessidade de final, um campeonato brasileiro soberbo"

Para Montenegro, apesar da força que o elenco do Botafogo demonstrou no Brasileirão, os grandes heróis da vaga do Alvinegro estiveram fora de campo. Para ele, Oswaldo de Oliveira e Maurício Assumpção ajudaram a segurar as pontas para levar o Glorioso de volta para a Libertadores.

"Por mais que a torcida do Botafogo não tivesse uma empatia com o Oswaldo de Oliveira, eu acho que ele teve uma participação muito importante nisso. A diretoria também teve uma participação grande, deu um show de criatividade quando perdeu o Engenhão", disse.

Sobre a saída de Oswaldo e a chegada de Eduardo Hungaro, o ex-presidente se mostra otimista. Segundo ele, mesmo sem muita experiência, o novo treinador tem tudo para fazer uma grande temporada no comando do Glorioso.

"Eu acho que a torcida não gostava muito do Oswaldo e o Oswaldo não gostava da torcida do Botafogo e acabou saindo. Entrou o Eduardo Húngaro que foi muito importante nessa subida dos meninos da base. Muita gente fala que é um risco apostar em um técnico novato logo em uma Libertadores. Eu acho que se não houver renovação a gente não cresce. Competente ele é, conhece todos os jogadores, os jogadores confiam nele e isso é o que vale", finalizou.

Você pode gostar