Por pedro.logato

Rio - O primeiro adversário do Botafogo é o Deportivo Quito. Além da preocupação com o adversário do ascendente futebol equatoriano, a altitude da capital do país é mais um dificultador no caminho do Glorioso.

Um dos profissionais que normalmente tem o trabalho mais dificultado é o goleiro. Porém, o preparador de arqueiros do Alvinegro, Flávio Tenius, não crê que o Glorioso vá ter problemas por atuar a 2.850 metros de altitude.

Jefferson foi elogiado por Flávio TeniusDivulgação

"Estive algumas vezes jogando em Quito e os goleiros, em geral, não têm muitos problemas com a altitude. A velocidade da bola fica um pouco mais rápida, mas nada absurdo. Acho que o problema não é tão grave. Claro que é mais um obstáculo, principalmente para os jogadores de linha, mas um obstáculo tranquilo, não é esse problema todo não", disse o membro da comissão técnica em entrevista à Rádio Brasil.

Tal confiança se deve ao fato do goleiro do Botafogo ser Jefferson. O ano de 2013 foi um ano de conquistas para o jogador do Botafogo, que mesmo com a troca de técnicos na seleção brasileira, se manteve convocado por Felipão, participando da campanha do título da Copa das Confederações.

"Foi um ano muito feliz para o Jefferson, para todos do Botafogo. Ele conseguiu manter a regularidade, ajudando demais a equipe em seus objetivos. Conseguimos o título estadual e a vaga à Libertadores. Cada vez mais o Jefferson vem se firmando tanto no clube quanto na seleção", concluiu.

Você pode gostar