Por rafael.arantes

Rio - Reforço do Botafogo para esta temporada, Jorge Wagner deve ser arma importante de Eduardo Hungaro na partida contra o Deportivo Quito, nesta quarta-feira. O experiente jogador reveza com o lateral Edílson na cobrança de faltas e acredita que o arsenal de jogadas de bola parada pode render ao time a classificação para a fase de grupos da Libertadores.

"Podemos fazer gols de bola parada. Temos várias jogadas ensaiadas também, nos escanteios, nas faltas. Quando cobramos falta do lado do campo sempre visamos o gol, para que o atacante desvie e tire do goleiro. É sempre uma bola difícil para o sistema defensivo, temos treinado bastante. Precisamos botar em prática no jogo", planeja o meio-campista.

Jorge Wagner tem a missão de comandar o Botafogo na LibertadoresErnesto Carriço / Agência O Dia

Vestindo a camisa 10, o jogador balançou as redes já em sua estreia, na vitória por 2 a 1 sobre o Madureira, pelo Campeonato Carioca. No primeiro duelo contra o Deportivo Quito, na última quarta-feira, Jorge Wagner levou perigo em cobrança de escanteio e quase marcou o primeiro gol olímpico da carreira.

"Não fiz nenhum gol olímpico na minha carreira, seria o primeiro. Lembro que em 2006, contra o Nacional, quando eu jogava pelo Internacional, fiz gol de falta. Foi muito importante, prova que a bola parada é fundamental", afirma o meia, relembrando o duelo contra o time uruguaio, primeira partida das oitavas de final da Libertadores daquele ano.

Mas, se não foi às redes no Equador, o experiente jogador quer fazer a festa da torcida alvinegra no Maracanã. "É o primeiro jogo meu no Maracanã como mandante", lembra. "O pensamento na quarta é de realizar um bom jogo, e se Deus quiser fazer gol também".

O Botafogo recebe o Deportivo Quito a partir das 22h (de Brasília) desta quarta-feira, em partida que vale vaga na fase de grupos da Libertadores. Após ser derrotado por 1 a 0 fora de casa, o time precisa triunfar por dois ou mais gols para se classificar no tempo regulamentar, enquanto a vitória por placar mínimo culmina na cobrança de pênaltis. Qualquer outro resultado elimina o time carioca da competição.

Você pode gostar