Botafogo planeja deixar salários em dia antes de pegar Independiente del Valle

Diretoria deve acertar tudo com os jogadores até a terça-feira

Por O Dia

Rio - O planejamento do Botafogo priorizou a Copa Libertadores da América, tanto que o Alvinegro montou um time B para jogar o Carioca e buscar o título continental. O que ninguém esperava, era que a discrepância entre os dois times fosse tão grande. Para evitar qualquer chance de que o time titular esteja em dia de reserva, o Botafogo pagou a todos os jogadores o que devia no direito de imagem e prometeu pagar o restante (CLT) ainda nesta terça. Tudo para que o time consiga um bom resultado em Quito, na quarta contra o Independiente del Valle.

Botafogo terá incentivo extra contra equipe do EquadorCarlos Moraes / Agência O Dia

Enquanto o time reserva entrou em campo nove vezes esse ano e só conseguiu 29,62% de aproveitamento, os titulares, que irão a campo amanhã jogaram oito vezes têm 62,5% e estariam brigando por uma vaga na semifinal do Campeonato Carioca.

A partida de amanhã tem ares de decisão para o Independiente del Valle, que é vice-líder do Campeonato Equatoriano, e joga suas últimas fichas na Libertadores, onde é lanterna do grupo 2.

“É um adversário forte, e também na parte física. Tem tido ótimos resultados no campeonato local . O quarteto ofensivo é bastante rápido, tem um homem de referência que segura bem a bola e é bem assessorado. O campo é apertado, precisamos errar o menos possível. Imaginamos que eles vão tentar bastante as bolas longas nas costas dos nossos laterais, por isso não podemos dar contra-ataques”, afirmou Eduardo Hungaro, a interseção entre os times A e B do Botafogo.

O Alvinegro chega hoje a Guaiaquil, que fica no nível do mar, e só vai a Quito, que tem altitude de 2800 metros, horas antes da partida, repetindo o que fez contra o Deportivo Quito. Independentemente da altitude, o treinador quer outra postura do alvinegro jogando acima do nível do mar.

“Temos que ser mais contundentes, agressivos, criar mais. O maior problema na altitude é a velocidade da bola, os jogadores custam a encontrar o momento do passe ou do chute. Naquele primeiro jogo, produzimos pouco ofensivamente", disse Hungaro