Por pedro.logato

Rio - Se o técnico Eduardo Hungaro orienta o Botafogo fora de campo, quando a bola rola, o time ganha outro comandante dentro das quatro linhas: o goleiro Jefferson. Destaque na vitória sobre o Independiente del Valle, na terça-feira, o camisa 1 fez valer a condição de líder e usou a sua visão privilegiada do jogo para mostrar à defesa alvinegra a melhor maneira de segurar a pressão da equipe equatoriana.

Durante o jogo no Maracanã, o goleiro foi visto diversas vezes orientando a defesa, falando alto e gesticulando muito. Num dos momentos em que o time alvinegro sofria uma grande pressão, Jefferson saiu de sua meta e foi à linha lateral conversar com Eduardo Hungaro. Ao comentar o assunto, o capitão alvinegro não se esquivou e assumiu a condição de um segundo treinador dentro de campo.

Jefferson é um dos ídolos atuais do BotafogoReprodução Internet

“Quando joga o Bolívar, é ele quem mais fala. Sem ele em campo, sabia que teria de falar pelos dois. Procuro sempre conversar, mas, durante a partida, não se ouvia nada em campo por causa do barulho da torcida. Então, fui até o treinador dizer que precisávamos sair jogando e ficar com a posse da bola, porque dar chutão era tudo o que o adversário queria. O Duda (Eduardo Hungaro) falou: “O que vocês tiverem de fazer, façam dentro de campo”, contou.

Eleito o melhor jogador na partida de terça-feira, Jefferson não escondeu a alegria por ter deixado novamente uma boa impressão para o técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari. O goleiro destacou que a boa atuação o fortalece na briga com Julio César pela vaga de titular da Seleção.

“Sempre há tempo para buscar a vaga. Respeito o Julio e a decisão do Felipão. Mas minha motivação é trabalhar aqui no Botafogo e fazer o melhor. Estou muito feliz por minha atuação e pelas defesas que fiz. Isso me dá muita confiança também para a Seleção. Com certeza, esses são jogos que o Felipão vê”, ressaltou o capitão alvinegro.

Lucas celebra volta por cima

Autor do cruzamento que resultou no gol de El Tanque Ferreyra, o lateral-direito Lucas comemorou a volta por cima na carreira. Criticado por não conseguir recuperar a forma física após um longo tempo parado — por causa de uma fratura no tornozelo —, o jogador festejou o fato de ser peça fundamental na vitória do Botafogo sobre o Independiente del Valle.

“Para mim, foi um início de ano difícil. Tive uma lesão no ano passado e agora outra. Fico feliz de ter ajudado. Tive calma de ver o posicionamento do Ferreyra e fomos felizes, fizemos o gol que nos deu os três pontos. Valeu todo o esforço”, afirmou Lucas.

El Tanque cheio de moral

Decisivo contra Independiente del Valle, El Tanque Ferreyra caiu nas graças da torcida alvinegra após marcar o gol que garantiu ao Botafogo a liderança do Grupo 2 da Copa Libertadores, com sete pontos. Esbanjando raça e disposição durante o jogo no Maracanã, o argentino teve seu nome gritado pela galera e foi muito elogiado pelo técnico Eduardo Hungaro.

“Quero ver o jogo de novo, mas tenho impressão que o Ferreyra fez o melhor dele jogo na temporada. Foi extremamente eficiente na parte tática, contribuiu na marcação e sempre deu opção inteligente para as jogadas. Foi eficiente no gol”, disse o treinador.

Você pode gostar