Por pedro.logato

Rio - Se no início do ano o Botafogo tentava ‘virar a chave’ quando ia disputar uma partida pelo Carioca, agora, isso não acontece mais. Mesmo tendo que disputar a última rodada amanhã, contra o Nova Iguaçu, o Alvinegro só pensa no jogo do dia 2, diante da Unión Española, pela Libertadores.

A campanha na competição internacional ameniza a decepção pela eliminação precoce no Estadual e valoriza o planejamento feito no início da temporada. Desde o princípio, o torneio continental foi colocado como principal objetivo da temporada e, no atual momento, a vaga na segunda fase está bem encaminhada.

Botafogo está eliminado do CariocaDivulgação

“Temos nos cobrado para terminar o Estadual de forma digna. Uma vitória também vai nos dar moral para a próxima partida. Mas agora o foco virou somente a Libertadores. Todo mundo entendeu o valor que essa competição tem para nós. Agora temos mais possibilidades de fazer um excelente campeonato”, analisou Dória.

Apesar da cobrança interna por um uma despedida honrosa para o Botafogo, os titulares nada poderão fazer. Mais uma vez, o técnico Eduardo Hungaro deverá optar pelos reservas, a fim de preservar seu time mais forte visando o confronto com a Unión Española, dia 2 de abril, no Maracanã.

Na tarde de quinta, o treinador comandou uma atividade no Engenhão e armou uma equipe bem parecida com a que foi derrotada pelo Boavista na última rodada. De diferente, apenas a entrada de André Bahia no lugar de Mario Risso e de Cidinho na vaga de Henrique. Com essa formação, Zeballos será o único atacante.

O jogo será uma espécie de ‘ressurreição’ do meia baixinho. Pela primeira vez ele iniciará como titular depois da grave lesão no joelho direito.

A dúvida que resta é com relação ao goleiro. Depois de sacar Renan por conta da sequência de falhas, Hungaro deu nova chance a ele na última partida. Apesar do resultado negativo, ele se saiu bem. Helton Leite, que agarrou até pênalti de Fred na vitória sobre o Fluminense é a outra opção.

Você pode gostar