Por pedro.logato

Rio - O técnico do Botafogo, Eduardo Hungaro, já elegeu o ataque como o principal setor carente do time. Para o setor, o comandante alvinegro conta com cinco jogadores: o argentino El Tanque Ferreyra, Henrique, Wallyson e Yguinho. Além deles, o grupo conta com o paraguaio Zabellos, que só poderá ser inscrito na próxima fase da Copa Libertadores da América.

A diretoria busca nomes e já tem praticamente acertada a contratação de Fabrício Carvalho, de 36 anos, que está disputando o Campeonato Carioca pela Cabofriense. Outro nome que está na mira do clube é Emerson Sheik, herói do Corinthians na conquista do torneio continental em 2012.

Hungaro quer novos reforços para o ataqueDivulgação

Aos 35 anos, o atacante recebe cerca de R$ 500 mil mensais e o salário é considerado fora da realidade do Botafogo. O time paulista busca se livrar do jogador que não vem em boa fase e não marca um gol desde o dia 31 de julho do ano passado. O Alvinegro quer que o Timão pague parte do salário do jogador, que no rio já jogou com as camisas de Flamengo e Fluminense.

Outro nome que ainda está em pauta é o atacante Deivid, que recentemente se desligou do Coritiba por causa da falta de pagamento do time paranaense. Embora, os valores sejam menores do que os de Sheik, a forma de pagamento.

A diretoria resolveu abaixar os preços dos ingressos para o jogo contra a Unión Española, dia 2, no Maracannã. Agora, os preços dos ingressos varia de R$ 70 a 160.

Você pode gostar