Por conta de salários atrasados, elenco do Fogão cancela treino e faz protesto

Momento turbulento acontece às vésperas de 'decisão' pela Libertadores

Por O Dia

Rio - Com a classificação bem encaminhada para as oitavas de finais da Libertadores, o momento no Botafogo não é só de festa. Os jogadores vão fazer um protesto, neste sábado, por conta dos salários atrasados. O elenco vai subir ao campo para treinar, mas ficará cerca de 30 minutos sem realizar nenhuma atividade. No domingo há o risco de greve no treinamento marcado para às 9 horas no Engenhão.

Nos dias de semana, o protesto deve continuar. Com isso, o Alvinegro pode entrar em campo, antes da partida contra o Unión Española, no Maracanã, com sua preparação comprometida. Em caso de vitória, o Glorioso garante vaga na próxima fase da competição sul-americana.

Diretoria e jogadores divergem sobre o atraso salarial. O elenco alega que o clube está devendo dois meses de atrasos na carteira e dois meses de direitos de imagem. A versão oficial do Glorioso é de apenas um mês. Além disso, os jogadores cobram a premiação pela vitória sobre o Deportivo Quito, que classificou o time para a fase de grupos da Libertadores.

Os jogadores resolveram tomar uma atitude mais enérgica a diretoria havia prometido quitar os salários antes do jogo desta quarta-feira. No entanto, depois veio o comunicado que não há mais previsão para o pagamento.

O Botafogo vive situação de extrema asfixia financeira, com suas receitas bloqueadas pela Fazenda Nacional. Os recursos usados para o pagamento de salários de jogadores e funcionários são conseguidos por meio de operações bancárias, empréstimos e ajudas de botafoguenses ilustres.