Vitória no clássico foi boa para o bolso do Botafogo

Clube usa renda do jogo com o Flu para completar parte dos atrasados

Por O Dia

Rio - O clássico contra o Fluminense, no Mané Garrincha, não serviu apenas para tirar o Botafogo da zona de rebaixamento do Brasileiro e aumentar sua autoestima. Foi bom, também, para o bolso. Mandante, o Alvinegro, além da vitória, celebrou os quase R$ 600 mil da polpuda renda de R$ 2.252, 700 que faturou — um suspiro a mais para quem enfrenta uma grave crise financeira.

O lucro obtido ajudou a completar o pagamento de um mês de salário para Bolívar, Lucas, André Bahia, Marcelo Mattos, Ferreyra e Bolatti, que tinham recebido parte de seus vencimentos através de um grupo de torcedores.

No acordo fechado com a empresa que administra o estádio em Brasília, o Botafogo receberia R$ 400 mil em caso de público de até 15 mil pagantes. Como este número chegou a 29.185, o clube ganhou a quantia adicional de R$ 185. 205, totalizando R$ 585. 205 de lucro.

Confronto no Mané Garrincha teve um bom públicoEstadão Conteúdo

A decisão de mandar o clássico na Capital Federal foi considerada um sucesso, porém, isso não quer dizer que a estratégia será repetida várias vezes no Brasileirão. Tudo dependerá do apelo do jogo, tendo em vista que os custos com logística de viagem são altos e as taxas pagas são mais caras do que de uma partida disputada no Maracanã.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Botafogo

Ao mesmo tempo que a diretoria comemora o resultado dentro e fora de campo contra o Fluminense, a torcida cobra ingressos mais acessíveis nos jogos realizados no Rio de Janeiro.

As organizadas publicaram um abaixo-assinado no qual pedem ao presidente Maurício Assumpção que os preços dos bilhetes sejam reduzidos para o confronto contra a Chapecoense, sábado, no Maracanã — amanhã, o Alvinegro encara o Figueirense, em Florianópolis.

A delegação, inclusive, desembarcou ontem na capital de Santa Catarina e Dória foi integrado, após cumprir suspensão na vitória sobre o Fluminense. Já Emerson Sheik ainda aguarda a aceitação do efeito suspensivo para poder jogar. Carlos Alberto, lesionado, segue fora.

Zeballos mostra personalidade e ganha moral

No meio do segundo tempo da vitória sobre o Fluminense, Vagner Mancini estava prestes a substituir Zeballos por Rogério quando ouviu uma declaração ousada do paraguaio. O técnico decidiu confiar no seu camisa 11 e o resultado foi o gol que sacramentou o triunfo no clássico.

“Ele deu o passe para o gol do Daniel e olhou para mim, achando que iria sair. Eu fui jogador e sei disso, os jogadores têm a impressão de que não estão bem e podem sair. Aí ele me pediu um tempo maior e falou: ‘Me deixa mais um pouco que vou resolver a partida.’ Alguns minutos depois, ele fez o gol”, revelou o treinador.

Titular nos primeiros meses de Mancini no Botafogo, Zeballos perdeu espaço com a sequência de resultados ruins e a chegada de Rogério. Com personalidade, porém, o paraguaio está recuperando a confiança do técnico e sua atuação no domingo foi um grande passo para voltar ao time principal.