Atlético-MG aproveita expulsão de Dankler e vence o Botafogo em Minas

Zagueiro improvisado na lateral é expulso no início do segundo tempo e complica os cariocas na partida diante do Galo

Por O Dia

Minas Gerais - Atlético-MG e Botafogo entraram em campo neste domingo com diversos desfalques em seus elencos. Os mineiros, jogando em casa, assumiram o controle da posse de bola e venceram os cariocas com um gol marcado pelo zagueiro Leonardo Silva, no segundo tempo. O zagueiro Dankler, que jogou improvisado na lateral-direita, foi expulso no início da segunda etapa e complicou o Glorioso na partida. 

Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Botafogo

O Atlético-MG foi para o jogo com 14 desfalques, entre eles Diego Tardelli, na Seleção, Maicosuel, Pierre, Josué e Réver no departamento médico. O Botafogo não tinha cinco titulares. Jefferson, convocado por Dunga, Edilson (suspenso), Airton, Emerson Sheik e Daniel, estavam lesionados e sem condições de jogar pelo Glorioso.

Com o resultado, o Botafogo permaneceu nos 22 pontos, ocupando a 13ª colocação. Já o Atlético-MG chegou nos 30, em sétimo lugar. Na próxima rodada os Cariocas vão enfrentar o São Paulo, quarta-feira, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Já o Galo encara o Corinthians, na quinta-feira, no Itaquerão.

O JOGO

As equipes começaram o jogo no Independência dando prioridade na marcação. Com desfalques importantes, ambos os treinadores tiveram que garimpar os elencos em busca de soluções para escalar os times titulares.

Notícias, resultados e bastidores do Campeonato Brasileiro

No caso do Botafogo, logo aos 16 minutos do primeiro tempo, Mancini já teve que queimar uma alteração. Rogério subiu para cabecear com Edcarlos. O atacante levou uma pancada e caiu desacordado no gramado. Sem condições de continuar, Yuri Mamute logo entrou no seu lugar.

O Atlético-MG tentava assustar nas bolas aéreas. Carlos e Jô tentaram, mas na primeira tentativa o goleiro Andrey estava atento para defender e na segunda o atacante do Galo não chegou na bola para completar.

Na metade da primeira etapa, o Galo seguia dominando as ações ofensivas do jogo. O Botafogo com Mamute, Zeballos e Wallyson, não conseguia emplacar um contra-ataque. O paraguaio era o menos efetivo da linha ofensiva do Glorioso.

Galo conseguiu vencer o Glorioso por 1 a 0%2C em casaDivulgação

Victor só fez sua primeira defesa aos 35 minutos do primeiro tempo. Wallyson cobrou falta com força, no meio do gol, e o goleiro não teve trabalho para encaixar. Dois minutos depois o Botafogo assustou em uma cobrança de escanteio que a zaga atleticana quase marcou contra.

Na volta do intervalo, Dankler complicou a vida do Botafogo. Logo no primeiro minuto de jogo. O zagueiro, improvisado na lateral-direita, fez falta em Carlos, no meio-campo, rente à linha lateral, e o juiz Flavio Rodrigues Guerra achou que era falta para cartão amarelo. Como já havia recebido um no primeiro tempo, o jogador do Glorioso foi expulso de campo.

Mancini logo mexeu no time. Saiu o sonolento Zeballos para a entrada do volante Rodrigo Souto. Gabriel foi deslocado para o setor do expulso Dankler. Desta forma, o Botafogo, que já não atacava no primeiro tempo, tinha que operar um verdadeiro milagre no Independência para trazer os três pontos na bagagem.

Com um jogador a mais, o Galo tinha total controle da posse de bola. Tentando pressionar, os mineiros erravam o último passe antes de concluir para o gol. De tanto tentar, o Galo conseguiu abrir o placar.

Aos 24 minutos do segundo tempo, Leonardo Silva aproveitou escanteio da direta, Rodrigo Souto não acompanhou, e o zagueiro mandou de cabeça para o gol. Andrey não tinha como evitar o lance. Tentando renovar o espírito de ataque do Botafogo. Mancini queimou sua última substituição após o gol. Entrou Tanque Ferreyra no lugar de Yuri Mamute.

O Atlético assustou mais uma vez. Marcos Rocha deu um chapéu em Ramírez e virou o jogo para Carlos, que penetrava sozinho na área. O atacante quis emendar de primeira e mandou fraquinho, nas mãos do goleiro Andrey. O Botafogo respondeu com Wallyson. O atacante recebeu de Júnior Cesar, cortou para o meio e chutou com força. A bola saiu por cima do travessão do goleiro Victor.

O goleiro do Botafogo evitou o gol em mais duas oportunidades. Na primeira, Fillipe Soutto tentou de fora da área e Andrey não teve problemas para defender. A poucos minutos para o fim, Marcos Rocha cruzou na primeira trave e Jô mandou de letra, mas o goleiro carioca estava atento no lance. No tentativa do abafa, o Botafogo cedeu ainda mais espaço para o Galo, que descia com perigo no contra-ataque, mas sem conseguir mexer no placar até o jogo terminar.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 1 X 0 BOTAFOGO

Estádio: Independência (Minas Gerais)
Árbitro: Flavio Rodrigues Guerra (SP)
Gol: Leonardo Silva (CAM, aos 24' do 2ºT)
Cartão Amarelo: Emerson Conceição (CAM, aos 25' do 1ºT), Dankler (BOT, aos 41' do 1ºT), Bolatti (BOT, aos 48' do 2ºT), Ramírez, (BOT, aos 23' do 2ºT), Luan (CAM, aos 37' do 2ºT), Guilherme (CAM, aos 41' do 2ºT)
Cartão Vermelho: Dankler (BOT, 1' do 2ºT)

Atlético-MG: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Edcarlos e Emerson Conceição; Rafael Carioca (Fillipe Soutto, aos 20' do 2ºT), Claudinei e Eduardo (Guilherme, no intervalo); Luan (Dodô, aos 38' do 2ºT), Carlos e Jô. Treinador Levir Culpi.

Botafogo: Andrey, Dankler, Bolívar, André Bahia e Junior Cesar; Gabriel, Bolatti, Ramírez, Wallyson, Rogério (Yuri Mamute, aos 16' do 1ºT e Tanque Ferreyra, aos 31' do 2ºT) e Zeballos (Rodrigo Souto, aos 4' do 2ºT). Treinador Vagner Mancini.