Por bernardo.argento

Minas Gerais - O calvário alvinegro no Brasileirão persiste. Desta vez, o torcedor não teve tempo de ter esperança. O Cruzeiro passou como um trator pelo Botafogo no primeiro tempo. Em 15 minutos de jogo no Mineirão, neste domingo, o placar já anotava 2 a 0 para Raposa, com gols de Marquinhos e Egídio. Depois do ótimo começo, os mineiros administraram a vantagem, que poderia ser maior caso Jefferson não estivessem em tarde inspirada. O goleiro foi fundamental para evitar a goleada com boas defesas.

Entregue em campo, o Glorioso praticamente assistiu ao bom futebol desfilado pela equipe celeste e só marcou um gol graças a falha do zagueiro Léo, nos acréscimos, que tentou cortar a bola e mandou contra a própria meta, decretando o 2 a 1 no marcador. 

O resultado foi péssimo para o time de Vagner Mancini, que nem assistiu ao jogo inteiro, já que foi expulso do gramado na primeira etapa após desentendimento com o quarto árbitro. O revés deixou a equipe na 18ª colocação, com 33 pontos. O Cruzeiro, no entanto, segue absoluto na liderança do Campeonato Brasileiro, com 64 pontos.

Na próxima rodada, o Botafogo pega o Atlético-PR, em Volta Redonda, no sábado, às 21h. Os mineiros recebem o Criciúma, no domingo, às 19h30.

Botafogo perdeu para o Cruzeiro neste domingo%2C no Mineirão%2C e segue no Z-4 do Campeonato BrasileiroO Tempo

O JOGO

O Botafogo não conseguiu respirar. Logo aos cinco minutos, Marquinhos aproveitou o erro de domínio de Rodrigo Souto, colocou na frente, invadiu a área e chutou forte para abrir o placar: 1 a 0. Pouco depois, nova falha da zaga e falta em Julio Baptista. Egidio cobrou magistralmente e Jefferson nem pulou na bola: 2 a 0. Aos 33, Mancini se desentendeu com a arbitragem e foi expulso de campo. O técnico alegou excesso de autoridade de um dos assistentes do juiz.

Entregue, o Glorioso assistia a Raposa desfilar bom futebol em campo. O primeiro tempo terminou sem o time carioca criar nenhuma oportunidade. Na saída para o intervalo, Carlos Alberto tentou encontrar explicação para má atuação da equipe

"Tomar o gol cedo sempre é ruim. Independentemente disso, temos de tentar jogar. Pegar a bola, aparecer... Assim que se muda uma situação difícil como essa. Todos tem de tentar jogar, que aí facilita".

Na volta para segunda etapa, Carlos Alberto quase descontou no início. O meia recebeu cruzamento na pequena área, mas não emendou o arremate. A resposta do time mineiro foi imediata. Marcelo Moreno, sozinho, desperdiçou ótima chance ao cabecear para fora com Jefferson batido. Em seguida, o goleiro alvinegro brilhou. Primeiro, evitou o gol do atacante boliviano em nova cabeçada. Depois, agarrou chute de Julio Baptista.

Moreno, inclusive, estava inspiradíssimo. Em outra grande oportunidade, o centroavante testou firmemente e acertou a trave. Aos 23, finalmente, o Botafogo chegou com perigo à meta defendida por Fábio. Jobson arriscou arremate de média distância e o arqueiro celeste fez boa defesa. O atacante também teve ótima chance após cobrança de escanteio, mas na frente do gol se enrolou com a bola e não balançou a rede.

O Glorioso só conseguiu descontar graças a falha do zagueiro Léo, que fez gol contra, ao tentar cortar cruzamento. No entanto, isso não foi problema para o time celeste, que garantiu a vitória por 2 a 1 e conintua isolado na liderança do Brasileirão. 

CRUZEIRO 2 X  1 BOTAFOGO

Estádio: Mineirão

Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (Goiás)

Gols: Marquinhos (1ºT 5'), Egídio (1ºT 15'), Léo (contra) (2ºT 45') 

Cartões amarelos: Rodrigo Souto (Botafogo), Lucas Silva (Cruzeiro), Junior Cesar (Botafogo), Marquinhos (Cruzeiro), Andreazzi (Botafogo)

Cartões vermelhos: -

Cruzeiro: Fábio, Mayke, Dedé, Léo, Egídio; Henrique, Lucas Silva (Nilton), Júlio Baptista (Dagoberto), Éverton Ribeiro (Willian); Marquinhos e Marcelo Moreno.

Botafogo: Jefferson, Régis Souza, Dankler, Rodrigo Souto, Junior Cesar; Andreazzi (Airton), Gabriel, Bolatti (Ramirez), Carlos Alberto; Rogério (Jobson) e Murilo.

Você pode gostar