Por edsel.britto

Rio - Depois de mais de um ano e meio sem pisar no campo principal do Engenhão, o Botafogo treinou no local a fim de preservar o anexo, atualmente em más condições e preservar a integridade física de seus jogadores — recentemente, Wallyson e Rogério se contundiram.

O ‘reencontro’ serviu para o elenco se inspirar nos três guindastes que ainda estão ao redor do gramado para ser içado e ficar bem longe do Z-4. A última vez que o time atuou no estádio foi no dia 16 de março de 2013, na vitória por 4 a 0 sobre o Quissamã, pelo Carioca. A maior parte do atual grupo ainda não tinha chegado ao Engenhão, mas o bom clima durante o coletivo comandado por Vagner Mancini provou que a volta ao interior do estádio fez muito bem a todos.

“Quando entrei no campo vi o que mudou. O campo está bom, mas claro que a gente fica preocupado porque tem muitos guindastes. Mas a sensação foi boa. O Mancini até comentou que as coisas estão virando a nosso favor. Tentamos o máximo possível trazer um astral bom para o clube sair dessa situação”, afirmou o capitão Jefferson, um dos poucos remanescentes.

Com um gigante guindaste ao fundo%2C Jefferson se aquece no EngenhãoVitor Silva / SS Press

A diretoria alvinegra entrou em acordo com a prefeitura e o consórcio que toca as obras para que o time possa usar o campo principal para treinamentos, esporadicamente, durante a reta final do Brasileirão.O início da atividade teve que ser atrasado por cerca de 30 minutos para que algumas máquinas fossem retiradas do local.

A entrega do Engenhão, com o reforço da cobertura, está prevista para o dia 31 de dezembro e, ao contrário do que muitos pensam, visualmente, o estádio quase não sofreu transformações.Mancini aproveitou o bom estado do gramado para testar mais uma vez uma equipe com vocação ofensiva. Carlos Alberto, Yuri Mamute, Murilo e Jobson atuaram juntos e devem iniciar o confronto com Atlético-PR, no sábado.

Clube desiste de recurso sobre dívidas

O departamento jurídico desistiu do recurso para voltar ao Ato Trabalhista, cujo julgamento iria ocorrer ontem. Está sendo preparado um novo documento para apresentar garantias ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT), o que facilitaria a reinclusão do clube no programa de parcelamento de dívidas trabalhistas.

A intenção é mostrar que pode arcar com parcelas superiores a R$ 800 mil, valor proposto na última tentativa de acordo. Há pouco tempo, o Ministério Público do Trabalho emitiu um parecer a favor do retorno do clube ao Ato Trabalhista, que só deve ocorrer em 2015.

Você pode gostar