Montenegro nega apoio a nova diretoria do Bota, mas elogia presidente eleito

Ex-dirigente também fez críticas a Maurício Assumpção

Por O Dia

Rio - Um dos nomes mais influentes da política do Botafogo, o ex-presidente Carlos Augusto Montenegro disse que não está disposto a ajudar a nova diretoria que venceu o pleito na semana passada. O ex-mandatário afirmou que a partir de agora fará oposição ao atual presidente Carlos Eduardo Pereira.

"Não (ele, Montenegro), não está a disposição do Carlos Eduardo Pereira, nem do clube. O Botafogo deu show de democracia e temos de aclamar. Todos os candidatos foram corajosos, pois a situação do Botafogo é dificílima. O Carlos (Eduardo Pereira) sempre militou na oposição, sempre foi duro, muito critico. Vou fazer oposição no meu estilo, com diálogo. Não vou ajudar porque o Botafogo precisa caminhar sozinho, estou cansado. Não pretendo ajudar em nada. Vou tirar férias e depois vou me sentar na cadeira que ele sentou nestes 20 anos. Gostaria que tudo que pregaram como oposição nestes 20 anos, que façam agora", afirmou Montenegro, em entrevista à Rádio Manchete. O ex-presidente também aproveitou para elogiar o novo mandatário: "Carlos Eduardo Pereira é uma pessoa correta, uma pessoa muito, muito séria, mas tem que ter equipe, tem que ter humildade. E tem que ver como conseguirá receita. Teremos um time do tamanho da receita", disse.

Montenegro disse que não ajudará o Botafogo e será oposição a nova diretoria do clubeDivulgação

Montenegro também falou sobre Maurício Assumpção. Para ele, o principal erro do ex-presidente foi pensar que o Botafogo era de propriedade dele e não poupou críticas sobre a gestão dele.

"O Mauricio sai como um dos piores presidentes que o Botafogo teve. Ele teve cinco anos regulares, mas achou que o Botafogo era dele e de seus amigos. Neste último ano, ele fez as maiores besteiras que um presidente poderia fazer, ora por incompetência ora por ganância, por amadorismo e soberba. Um ano horroroso. Como coisas não éticas como a família dele ganhar comissão em patrocínio do clube, uma coisa melancólica, não pagou aos jogadores. Dizem que assumem a responsabilidade, mas não assumem nada. O que quer dizer assumir responsabilidade? Acabou, vão embora e não aparecem mais. Não tem um dinheiro para 2015 que não tenha sido antecipado, o Engenhão é uma incógnita sempre. Desconfio se o Engenhão é realmente uma boa fonte de receita. Comparam quando todos jogavam lá e com o Maracanã estava fechado", finalizou.