Mané Garrincha testemunha o adeus do Botafogo

No estádio batizado com o nome de seu maior ídolo, Botafogo, sem Jefferson, encara o Atlético-MG

Por O Dia

Brasília - Por ironia do destino, o Botafogo se despede da elite do futebol brasileiro justamente no estádio que leva o nome do maior ídolo de sua história centenária: Mané Garrincha. O Anjo das Pernas Tortas, certamente, não gostaria de assistir à melancólica partida entre o seu Glorioso e os reservas do Atlético-MG. Às 17, o time tenta terminar o Brasileirão de forma digna, porque a má impressão não dá mais para apagar.

Mané Garrincha será palco do último jogo do BotafogoDivulgação

Para esvaziar ainda mais a partida, os brasilienses não terão a oportunidade de ver o único ídolo do atual time do Botafogo em campo. Jefferson teve suas férias antecipadas por não ter tido folga durante a Copa do Mundo.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Botafogo

Vagner Mancini só espera que o pesadelo termine logo. Em 41 partidas no comando do time, ele sofreu nada mais nada menos do que 25 derrotas. Um desempenho para ser apagado do currículo.

“Não vejo a hora de entrar de férias, porque a carga foi muito forte. Todos reconhecem que tentamos ao máximo. As férias vão me dar a chance de estar mais próximo da minha família e amigos para me reequilibrar novamente”, afirmou o técnico.

Apesar da péssima campanha que terminou no rebaixamento, a nova diretoria do Botafogo não considera o treinador o grande culpado pela pífia temporada. Pelo contrário. Durante a semana, a cúpula de futebol se reunirá com ele para decidir se ele permanece.

Resta aos jogadores honrarem o clube que o craque que dá nome ao estádio elevou ao posto de Glorioso.

Dignidade acima de tudo

Rebaixado com uma rodada de antecedência, ao Botafogo resta terminar o Brasileiro com dignidade. Mas não será fácil. Com seis derrotas seguidas, sendo as últimas cinco sem fazer um gol, o time já possui o posto de pior desempenho no returno (só venceu duas vezes), mas pelo menos não terminará na lanterna do campeonato.

Para a maioria dos jogadores, será a despedida com a camisa do Botafogo, já que será feita uma grande reformulação do elenco para a disputa da Série B.

“A partir do momento em que se chega ao fundo do poço, tem que se reerguer. Acho que já vimos tudo de ruim, agora é dar as mãos e sair dessa situação”, disse Mancini.