Em jogo muito fraco, Botafogo não sai do zero com o Atlético-GO em Brasília

Alvinegro faz um dos seus piores jogos na temporada, abusou dos erros e passa em branco pela segunda vez no ano

Por O Dia

Brasília - Em um dos seus piores jogos na temporada, o Botafogo não conseguiu aproveitar o apoio da torcida no Mané Garrincha e não saiu do 0 a 0 com o Atlético-GO pela 3ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, em Brasília. Com um time muito modificado, o Alvinegro teve dificuldades para criar chances de perigo e ainda contou com o atacante Bill completamente inoperante. Foi a segunda partida do Bota sem marcar gols em 2015

Jogando em Brasília%2C o Botafogo ficou no 0 a 0 com o Atlético-GO pela 3ª rodada da Série BFrancisco Stuckert

Com 7 pontos, o Botafogo desperdiçou a chance de chegar a liderança e fica na 3ª colocação na tabela da Série B. O Alvinegro agora só volta a campo no próximo sábado e recebe o Vitória, às 16h30, no Estádio Nilton Santos. Já o Atlético-GO fica com 4 pontos na 8ª posição e visita o Criciúma, também no sábado, no mesmo horário, no Heriberto Hülse.

O JOGO

A partida em Brasília começou animada. Antes do primeiro minuto, os dois times já tinham conseguido levar perigo no ataque. Pelo Botafogo, Gilberto chegou livre pela direita e cruzou com perigo para área, enquanto Rafinha chutou a bola rente ao travessão de Jefferson no contra-ataque para o Atlético-GO. Mais dominante, o Alvinegro chegava na troca de passes e explorando as laterais.

Pela esquerda, o Bota chegou duas vezes com perigo graças Lulinha. Na primeira, o camisa 7 cabeceou por cima e na segunda, chutou para boa defesa de Márcio. Após o início acelerado, o Alvinegro diminuiu o ritmo e permitiu o Atlético-GO se organizar e vir ao ataque.

Após a estrei com direito a gol%2C Lulinha atuou os 90 minutos contra o Atlético%2C mas não foi bemFrancisco Stuckert

Aos 26, Arthur recebeu com espaço na área e chutou para ótima defesa de Jefferson. Aos 43, novamente o camisa 9 do Dragão teve a oportunidade de abrir o placar. Após cobrança de falta na área, o atacante subiu sozinho e cabeceou pelo, porém anulado pelo assistente por impedimento.

Na volta do intervalo, o Atlético-GO manteve o ímpeto ofensivo e continuou a pressionar no ataque. Aos 3, o Dragão já tinha chegado duas vezes, sempre pela esquerda com Rafinha, que inclusive colocou uma bola na trave. A primeira chegada do Botafogo foi com Willian Arão, que soltou uma bomba de longe passando perto do gol de Márcio. 

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Botafogo

Com espaço na entrada da área, o Atlético assustava com chutes de fora da área, mas não conseguia acertar o alvo. Já o Botafogo conseguiu chegar com efetividade duas vezes com Diego Jardel. Na primeira, o meia acertou o travessão, e depois exigiu uma ótima defesa de Márcio. Na jogada seguida seguinte, Elvis deu a bola de graça no ataque e no contragolpe, Arthur saiu cara a cara com Jefferson, passou pelo goleiro, mas chutou para fora. 

Sem conseguir chegar na área do Atlético trocando passes, o Botafogo abusava nos chutes de fora da área, principalmente com Tomas Bastos e Diego Jardel. Isolado no ataque, Bill era peça nula e em nada ajudava a linha de frente alvinegra. No fim de jogo, os dois times caíram muito no aspecto físico e a partida ficou um show de passes e chutes errados. Foi o segundo jogo na temporada do Alvinegro sem marcar gols.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-GO 0x0 BOTAFOGO

Estádio: Mané Garrinha (DF)
Público e Renda: 7.822 pagantes/R$369.780,00
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Gols: -
Cartões Amarelo: Arthur e Rafael (Atlético-GO)
Cartões Vermelho:

ATLÉTICO-GO: Márcio; Éder, Marcus Winícius, Rafael e Sidcley (Samuel, aos 35' do 2ºT); Anderson Pedra, Pedro Bambu, Zezinho (Sérgio Manoel, aos 28' do 1ºT) e Aílton; Rafinha (Ayrton, aos 22' do 2ºT) e Arthur. Técnico: Marcelo Martelotte

BOTAFOGO: Jefferson, Gilberto, Renan, Diego Giaretta, Pedro Rosa; Willian Arão, Camacho (Airton, aos 21' do 2ºT), Elvis (Tomas, aos 20' do 2ºT), Daniel Carvalho (Diego Jardel, intervalo); Lulinha e Bill. Técnico: René Simões.