Com marca expressiva de Jefferson, Botafogo enfrenta o Oeste pela Série B

Ídolo, goleiro completa 400 jogos pelo clube

Por O Dia

Rio - Jefferson não é do tipo que gosta de festas e comemorações. Sempre sério, o goleiro deu uma canseira nos torcedores que o esperavam para entregar placa pelos 400 jogos que completa nesta terça-feira pelo Botafogo. Ele foi o último a sair de campo após o treino e está confirmado para o jogo desta terça, às 21h30, no Nilton Santos, contra o Oeste.

Jefferson foi homenageado por torcedores no treino de segunda-feira no Estádio Nilton SantosAndré Mourão / Agência O Dia

“É motivo de alegria e honra vestir esta camisa 400 vezes. Não tenho muita noção ainda. Estou muito focado em subir, mas sei que é um momento histórico. É muito bom conseguir isso no meu time de coração. Espero chegar aos 500 jogos. São vários momentos inesquecíveis e jogos especiais. Agradeço a Deus pela saúde e à torcida do Botafogo que sempre me recebeu de braços abertos. Isso só me deu mais alegria ao defender o clube”, afirmou o goleiro alvinegro.

Emoções de sobra no clube

Jefferson viveu quase tudo no clube. Títulos, rebaixamento, volta à Libertadores após 18 anos. A ida para a Seleção o deixou mais confiante e nem a convocação para os primeiros jogos das Eliminatórias nesta semana lhe tira o sono.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Botafogo

“O ambiente na Seleção é muito bom. Sei o que represento lá. Sei que tenho grande importância e influência. Todos os goleiros que estão lá estão preparados para jogar. O Taffarel (preparador de goleiros do Brasil) falou para eu ficar tranquilo (por ter sido reserva nos últimos jogos). Estou pronto para voltar a ser titular. Porém, o mais importante é ajudar a Seleção”, comentou.

Jefferson tem como próxima meta chegar a 500 jogos no Glorioso, mas não pensa em parar de jogar tão cedo. O objetivo neste momento é um só: recolocar o Botafogo na Série A do Brasileiro.

“Faço planejamento de carreira para me preparar tanto psicológica quanto fisicamente. Espero jogar mais uns quatro ou cinco anos. Até depois da Copa da Rússia. Quero estar bem no Botafogo e na Seleção. Eu me sinto num momento muito importante na carreira. Minha expectativa é subir para a Série A. Às vezes até sonho com isso, dói muito. Não me acostumo com o Botafogo na Série B”, explicou Jefferson, certamente já na galeria dos melhores goleiros da história do clube.