Henrique Almeida cobra dívidas na Justiça e pede rescisão com o Botafogo

Atacante tem contrato com o Alvinegro até o fim da temporada

Por O Dia

Rio - Considerado uma das esperanças do Botafogo para 2016, o atacante Henrique Almeida não deve permanecer na equipe. Em nota oficial divulgada pela sua assessoria, o atleta explicou os motivos da sua ausência nos primeiros treinos do Glorioso em 2016. Henrique alegou que entrou na Justiça contra o clube.

Henrique Almeida entrou na Justiça contra o BotafogoUanderson Fernandes / Agência O Dia

"Venho através dessa nota oficial comunicar e esclarecer o motivo do meu não comparecimento aos treinos em General Severiano. Acionei o Botafogo na justiça do trabalho para reivindicar meus direitos. Muitos avaliam minha passagem no Alvinegro como ruim ou regular, mas apesar da mudança de técnicos, e até de diretoria, nunca tive uma sequência de partidas e nem por isso deixei de honrar essa camisa.Estou exercendo um direito meu, de cidadão e trabalhador. São 28 meses de fundo de garantia, além de salários atrasados, 13º, férias e luvas. No momento aguardo uma decisão da 24ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro sobre o pedido de antecipação de tutela (declaração da rescisão contratual por culpa do clube), para que então me manifeste sobre meu futuro", disse a nota oficial.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Botafogo

Após retornar de empréstimo no início do ano passado, o atacante pouco foi aproveitado no clube e chegou a ser afastado pelo técnico René Simões. O motivo era o alto salário do atleta, que recebia quase três vezes acima do teto salarial estipulado para a disputa da Série B. Emprestado em julho ao Coritiba, Henrique despontou e tornou-se protagonista da campanha que livrou o Coxa do rebaixamento na última rodada.

Com a valorização do atacante, o Botafogo esperava negociá-lo, mas propostas de compra nunca surgiram. Sua multa rescisória de é de R$ 35 milhões para clubes do Brasil e do exterior. No entanto, o Alvinegro aceitaria negociá-lo por 3 milhões de euros (cerca de R$ 12 milhões).