Botafogo aposta em Sassá contra o América-MG para espantar a má fase

Atacante ganha vaga de Ribamar no ataque alvinegro e é a esperança de Ricardo Gomes para o time fugir da lanterna

Por O Dia

Rio - O quebra-cabeça do Botafogo parece longe da montagem ideal, porém, não diminui o ritmo de Ricardo Gomes na busca por soluções. Na desgastante saga para deixar a lanterna do Brasileiro, a equipe aposta em Sassá e Gervásio Núñez, o Yacaré, no confronto direto com o América-MG, nesta quarta-feira, às 21h, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. Titular na campanha do título da Segundona, Sassá usa o próprio exemplo de superação para ajudar a equipe a recuperar o espírito de competitividade.

Vítima de uma grave lesão no joelho esquerdo, em novembro, o atacante, longe da forma ideal, foi expulso em sua volta aos gramados, na final do Carioca, contra o Vasco, e teve que esperar pacientemente por uma nova oportunidade. A escassez de gols de Ribamar, de 18 anos, e as boas atuações contra Cruzeiro e Vitória o recolocaram na briga pela vaga, justamente no lugar da jovem revelação. Com ‘pressa’, Sassá deposita as fichas na vontade para compensar a falta de entrosamento com Anderson Aquino.

Sassá ganhou a vaga de Ribamar e é a esperança de gols do BotafogoVitor Silva / SS Press

“Nem joguei com ele direito, foi um jogo só. Mas não tem jeito, tem que encaixar. O Botafogo tem pressa e quem entrar tem que dar resultado. A gente fica rodando na frente, de vez em quando pego um lado, ele vai para o meio, depois troca. A gente vai revezando”, disse Sassá.

O segundo pior início do do Botafogo na era dos pontos corridos do Brasileiro foi o alerta de que era preciso mudar. E é o que Ricardo Gomes tem tentado. Com quatro titulares machucados e três reforços impedidos de estrear até o dia 20, data da abertura da janela de transferência internacional, ele deve dar outra chance a Yacaré.

O apoiador argentino, que não emplacou no Carioca, é a bola da vez para o lugar de Gegê, que foi mal no empate com o Vitória, domingo. Fernandes disputa a vaga, como alternativa mais defensiva.