Ex-meia da ‘La U’, Montillo sabe como o Fogão deve pegar hoje o Colo-Colo

Embora tenha nascido em Lanús, na Argentina, Montillo se sente em casa no Chile

Por O Dia

Jogador espera se dar bem contra o Colo-ColoVitor Silva / SS Press / Botafogo

Santiago - Ídolo da Universidad de Chile, Montillo sente o coração bater mais forte a cada visita ao país que o acolheu entre 2008 e 2010. Com a camisa do Botafogo, ele volta a Santiago com a bagagem recheada de metas, como a classificação para a próxima fase da Libertadores, memórias inesquecíveis pela ‘La U’ e muita rivalidade com o Colo-Colo, adversário do confronto de hoje, às 21h45, no Estádio Monumental.

“É incrível. Às vezes parece que o Senhor lá em cima vai encaminhando as coisas. Estou feliz de voltar, tive uma passagem muito boa na ‘La U’, sou agradecido, mas agora o presente é outra coisa. Estou muito feliz no Botafogo também e com muita vontade para que o time possa passar de fase. Sabemos que será um jogo muito difícil, mas estamos confiantes”, disse o apoiador, mesmo com o possível desfalque de Camilo, lesionado.

Embora tenha nascido em Lanús, na Argentina, Montillo se sente em casa no Chile. Como bom guia, o camisa 7 apontará o melhor atalho para o Botafogo garantir a classificação, mas alerta para os perigos que surpreendem os ‘turistas’ menos desavisados. 

No Chile, Montillo acumula vitórias e derrotas nos clássicos com o Colo-Colo, além de um tabu de nunca ter vencido no Monumental. Torcida, porém, não faltará em Santiago.

“Acho que muitos torcedores da ‘La U’ vão torcer pelo Botafogo, mas vai ter muito flamenguista torcendo pelo Colo-Colo, então isso é o futebol. Eu gosto porque há um sabor a mais saber que, quando se entra no campo, tem, além da torcida do Botafogo, torcedores da ‘La U’ dando força também. É bom porque a gente sabe que vai encontrar um estádio lotado em Santiago”, destacou Montillo.

A um empate da vaga, o Botafogo promete não se escorar na vantagem para confirmar a classificação sem risco: “Tentar aguentar (a pressão) às vezes é bom, mas outras, ruim. Não pode ficar só aguentando. A gente sabe que temos um resultado mínimo a favor, mas temos que procurar um gol. Vai ser muito equilibrado, tem que ser um jogo pensado, não pode sair na loucura e descuidar tudo lá atrás. Tem que ser equilibrado, compacto na defesa. Temos que ser inteligentes”.